domingo, 30 de setembro de 2012

Diários Nipônicos - #4


Hoje conheci outro shoshi, que irá participar também da cerimônia do Saito Homa que fui convidado. Além do Attila, que já tinha conhecido, hoje conheci o Marco, da Itália!

Marco queria ir conhecer Tóquio, mas de manhã recebemos um alerta sobre um tufão que está se aproximando do Japão. Como nós brasileiros não sabemos o que são terremotos, tsunamis, tufões ou tornados eu preferi ficar em Tachikawa passeando, uma vez que hoje infelizmente não tinha nada no templo.

Primeiro precisava sacar dinheiro, andei em diversas lojinhas de conveniência (que tem em toda santa esquina...) que ás vezes pela quantidade parece que é como a quantidade imensa de botecos que temos no Brasil, sempre tem uma em cada quadra quase. Porém, nenhum dos caixas funcionavam com meu Travel Money. Aí eu comecei a ficar com medo.

Achei um local que eu consegui usar, num desses caixas da 7 Eleven (similar ao que usei em Narita). Saquei 30 mil ienes pra passar os dias mais tranquilos e quando fui de novo tentar acessar pra conferir meu saldo... Disse que o cartão era INVÁLIDO.

Fuck. Agora tava fudido, pensei eu.

Acabei até ligando pra esses atendentes pra saber o que significava aquilo, mas nada muito concreto. Não conseguiram me ajudar. Comecei a andar igual barata tonta e um bocado desesperado, mas achei um outro caixa, tentei até limpar o cartão, mas dessa vez foi tranquilo. Consegui abrir, ver meu saldo, e não tinha mais a mensagem de cartão inválido. Ufa!

Fui ao Starbucks e McDonald’s. Meu pai disse que se eu achar uma loja que vende aparatos da Nikon eu posso comprar a minha lente da câmera. Mas com esse alerta de tufão eu preferi dar uma agilizada pra voltar e ficar embaixo de um teto. Tô com medo!

O Japão é um país que produz muita pornografia (acho que até mais que os Estados Unidos!) e nas ruas de Tachikawa achei uma lojinha simpática por fora e entrei. Quando me dei conta vi era uma loja apenas de filmes pornôs asiáticos. Sim! Isso mesmo. E os filmes ainda eram caros! Mais de três mil ienes cada. E tinha dos mais diversos tipos e tara da japonesada. E atrizes gatíssimas também, diga-se de passagem.

Do lado dessa loja de filmes pornográficos tinha uma loja de Asian Music! Comprei um CD do Dir en Grey (VULGAR) e um da Ayumi Hamasaki (Love Songs). Eu adoro esses dois, e eles são de um trabalho de produção impecável, especialmente a capa! Agora estou nesse momento já no meu quarto e apenas ouvindo o vento pela janela. Pelo visto ainda vai piorar!

Só fico preocupado com o italiano. Cadê o cara?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog