segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Ser pequeno.

Ouvir isso de um cara com essa altura soa ás vezes até irônico.

Ir pro Japão participar do Saito Homa mudou muito minha visão de mundo. Aprendi muita coisa. Normalmente a gente pensa que existe a possibilidade de aproveitar 100%, mas a gente sabe que a realidade normalmente a gente só aproveita uns 80%, mas hoje ainda estou digerindo tudo o que aconteceu, as pessoas que conheci, as coisas que vi e senti.

Hoje, posso dizer que provavelmente eu aproveitei uns 400%. Sem exageros.

Dizem que pra gente conseguir olhar melhor o nosso meio a gente precisa se afastar dele um pouco. Eu concordo plenamente com isso. A gente começa a enxergar os defeitos e qualidades do lugar onde a gente vive com isso. E, ao contrário do que quase 100% das pessoas dizem, o Brasil não é tão ruim quanto se imaginava. E não estou fazendo discurso patriota porque quem me conhece sabe: detesto patriotismo.

Patriotismo cria guerras, nazismo e preconceito. Ponto.

Acho que fui sim muito abençoado. Por tudo, até mesmo as coisas ruins. No dia que peguei o tufão (dia 30) no dia depois estava um céu ensolarado e pude ir pra Torre de Tóquio tirar fotos como essa:


Outro dia, andando como quem não quer nada em Akihabara (que também era um grande sonho conhecer) esbarrei sem querer num restaurante que tinha okonomiyaki. Ok, vai, estávamos no Japão, achar comida japonesa lá é fácil, mas a circunstância que isso se deu foram muito ímpares.

E isso sem contar todas as bençãos na parte da religião. Como todos sabem, eu fui para representar o Brasil numa cerimônia budista anual. É impossível se você segue uma religião não tomar como presente mais precioso todo esse carinho por parte das pessoas.

E até na parte do coração. Na noite do dia primeiro de outubro sonhei que tinha encontrado uma chinesa, que era muito bonita e tudo mais. No outro dia conheci sim, mas era bem diferente do sonho, mas ainda assim era bonita. A maior dádiva não foi apenas ela, mas por um momento me livrar das amarras de alguém que me segurava no Brasil ainda.

Eu disse que precisava de alguns dias pra colocar ordem na cabeça depois de tudo. Mas acho que vou precisar de mais tempo.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog