sábado, 3 de novembro de 2012

I - O Mago



março de 1988

"Meu Deus... Não acredito!".

Arch não sabia o que dizer. Seu diretor havia sido sequestrado. Curiosamente, veio depois de sua demissão um dia antes, até então inexplicável. Quando chegou no escritório junto de Lucca não acreditou no que viu. Tinha uma grande pasta e um carimbo vermelho que se destacava.

Sector 9 - DISAVOWED

Por um momento Arch ficou calado, vendo aquele grande carimbo vermelho que desautorizava qualquer ação por parte dele. Provavelmente naquele mesmo dia tudo estaria acabado, todos seriam obrigados a voltar para suas casas, ficar no aguardo de uma nova chamada, ou serem simplesmente jogados no olho da rua. Mas Arch, de alguma forma, não queria isso. E naqueles segundos que ele pensou tomou uma decisão enquanto somente havia ele e Lucca dentro do recinto.

"Pegue todos os documentos que precisamos. Vamos terminar isso, só que em outro lugar", disse Arch, enquanto ia apressado abrindo todas as gavetas e recolhendo todas as evidências criminais.

"Mas... Arch! Você tá doido? Está escrito aqui, nós não existimos mais, provavelmente dentro de alguns minutos eles virão aqui e trancarão tudo isso", disse Lucca, apreensivo.

Arch ignorava e continuava revirando as gavetas, procurando tudo o que poderia levar.

"Esse é o momento de mudança", Arch falou, enquanto Lucca ficava na sua frente, sem reação, "A partir de agora, eu sou o líder. Acho que já estávamos divididos o suficiente, as coisas não vão ser muito diferentes. Acho que isso é um sinal, meu amigo!".

"Sinal? Como assim?".

"Um sinal para que nós finalmente consigamos o que queríamos. Você não acredita em milagres?", disse Arch, dando um sorrisinho.

Deus escreve certo em linhas tortas. Parecia difícil. Não existiria mais o apoio dos veteranos. Eram um bando de jovens adultos liderados pelo mais novo deles. Mas ele não achava que isso seria um impecilho. Poderia ser realmente um momento de mudança.

Quando Lucca juntou o primeiro monte de documentos ele já sabia: Daquele momento em diante, não haveria mais volta. Era tudo ou nada.

Arch no mesmo dia foi em sua casa, pegou algumas roupas, duas grandes malas (uma cheia de papéis e evidências) e ele não teve tempo para se despedir adequadamente. Disse para Émilie que iria para algum lugar na Oceania, possivelmente ao Fiji. Disse que ficaria algumas semanas por lá, pois o quanto mais se isolasse mais chance teria de ficar vivo.

Para mim, uma criança na época ele apenas disse que ia viajar, mas voltaria em algumas semanas.

- - - - - - - - - - - - -

"Senhor George Younger?".

"Estou ouvindo, senhor".

"Uns dias atrás o edifício contendo o Dawn of Souls foi destruído em um incêndio. O Setor 155 me informou que foi um incêndio criminoso e poucas pistas foram encontradas. Existe o boato que uma cópia do Dawn of Souls foi levada".

"O senhor está falando sério?", o senhor Younger estremeceu, "Isso é muito grave!".

"Se nenhuma providência for tomada eu não vou ter escolha a não ser ir atrás de quem iniciou esse incêndio criminoso e descobrir se ele fez algo no prédio antes de incendiá-lo. Se a Dawn of Souls cair nas mãos de alguém tudo estará acabado".

"Sim... A síndrome da China será realidade. Estaremos perdidos!"

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog