segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Então é Natal.

Complicado de pensar numa mensagem. Natal sempre é uma época em que todo mundo fica no aguardo de um super presente, mas eu persisto em bater na mesma tecla: os melhores presentes não custam nada ou são de graça.

Ainda mais num mundo tão materialista e com tantas pessoas que estão nem aí pra você. Isso não é indireta pra ninguém, não ia perder meu tempo com isso. Até porque não sou uma pessoa de cultivar inimizades. Brigou? A gente tenta reconciliar.

Meu maior presente hoje não seria o saldo de dividas, nem dinheiro, nem uma loura escultural ou uma super japonesa peituda pra eu levar pra cama. Eu ficaria feliz se as coisas na vida real funcionassem como no filme esqueceram de mim: com aquele vizinho mal humorado do primeiro filme que no final cria coragem pra reatar a amizade com o filho.

Gostaria de alguns dos que eu por ventura fiz alguma inimizade pudesse ter uma segunda chance para tentar reatar a amizade, nem que recomeçasse do zero. Seria excelente!

Bom natal a todos vocês! E tente reatar alguma inimizade. No Natal tudo pode acontecer.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog