segunda-feira, 1 de abril de 2013

Não fique compartilhando qualquer coisa por aí.

Tudo começou nesse vídeo:


Com um jeito bem humorado, essa carioca, a Luane Dias, mostra um sério problema de carência que as pessoas hoje em dia têm. Algo que já acontecia no Orkut, e no Facebook continua por meio do seu mural: pessoas inconvenientes.

Todo mundo tem um amigo que posta coisas inúteis. E sinceramente, até eu posto lá umas coisas inúteis volta e meia. Mas tem gente que exagera. Desde os compartilhamentos imbecis, como esses recadinhos de "Solteira e eu me amo", fotos de cachorros semi-mortos, músicas de jazz do século VI a.C., ou coisas que são simplesmente "engraçadas" (em geral do 9gag).

Nada contra quem compartilha algo. Ás vezes a gente acerta. Eu, por exemplo, tinha uma grande amiga da infância que não parava de compartilhar coisas como: "Tô tão carente hoje, snif", ou "Queria um abraço", "Espero que você esteja lendo isso e soubesse o quanto sinto por você". Ela conseguiu um namorado, acho que até devem ter noivado ou casado já, mas ainda assim ela devia continuar postando poemas, trechos de músicas, ou aquelas frases de amor próprio com foto do Johnny Depp.

Hoje? Ela saiu do Facebook, hehe. Acho que é algo meio natural, sei lá. Pessoas dão pra si mesmas "folga do Facebook" e vão naquela ferramenta de sair temporariamente. Mas depois voltam, simplesmente ficam apagadas no seu profile.

Para as pessoas que não detém de simancol, resta uma boa opção: desmarcar do feed de notícias essas pessoas sem noção. E seguir os conselhos da nossa amiga do vídeo: “Bota que tá solteira, que tá feliz. Caô. Não tá! Sabe que não tá! Termina suave.” “Rasgue as fotos. Chore. Mas não coloque no Facebook.” “Tudo que vai fazer bota no Facebook. Essa porra virou diário agora?” “Como você vai arrumar namorado se todo dia você só quer reclamar?” “Guarde sua vida pessoal pra você.”

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog