segunda-feira, 27 de maio de 2013

De novo você, vinte e cinco.

Eu só sabia chorar. Chorava a ponto de soluçar.

Acho que o troco veio anos depois, né? Acho que senti um pouquinho da tristeza que fiz você sentir nesse mesmo vinte e cinco de maio, há quase dez anos atrás. Me senti destroçado. Me dediquei a uma coisa que acreditava com toda a minha alma.

Toda a tristeza e desafios que passei, em meio a tantas tristezas eu achava que teria apenas uma única felicidade. "Felicidade" era o nome mais exato da coisa.

E quando precisei de uma palavra de conforto, só levei mais e mais críticas. Inclusive meus pais. Disse pra minha mãe que estava triste, e a resposta dela foi: "Tá triste, seu vagabundo? Vou te dar um motivo pra você ficar triste de verdade daqui a pouco!". Jeitinho feminino da minha mãe...

E todo mundo conseguiu. Menos eu. Foi uma sensação muito similar a quando eu fui reprovado no TCC e a sala inteira passou.

Nesse momento, me sinto maior lixo da face da terra.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog