quarta-feira, 12 de junho de 2013

"Time and memory frozen in crystal".

Acabei de terminar Final Fantasy XIII-2. Já escrevi sobre o XIII aqui e umas primeiras impressões do XIII-2 nesse outro. Agora que eu terminei acho que tenho mais como opinar, inclusive sobre o enredo.

Eu gostei muito do Final Fantasy XIII. Uma das coisas que eu mais gostei foi a gama de personagens cativantes. Tem a Lightning, que é a protagonista e a fodona ignorante, o Snow metido a herói, Sazh inseguro e triste, a Vanille que é a doce de batata-doce, o Hope que é irrelevante (sempre tem um que não tem importância alguma em qualquer estória!) e a Fang que é a madura e inteligente.

No XIII-2 você só tem a Serah (que você salva no final do XIII) e o Noel Kreiss. E de maior relevância tem a Yeul, Lightning (que aparece em raríssimas vezes, pois ela tá em Valhalla mandando tudo pros ares) e o Caius Ballad. Mas a Serah não tem nada de especial. Não passa de uma protagonista feminina "padrão". A dubladora dela inclusive tinha momentos que ela não parecia dar emoção nas falas dela, não sei se era pra mostrar que ela amadureceu ou algo do gênero.

Já o Noel (se fala "Nôl") é o que dá mais tempero. Até a voz dele é mais empolgante e... Não, ele não quer comer a Serah. Ele gosta da Yeul, que a pronúncia é similar a "you". Foda se estivesse sem legenda, quando o cara gritava: "I'm gonna save Yeul", você não sabia se ele falava "Yeul" ou "You".

Agora pra mecânica de jogo. Muita gente reclamou para que o jogo não fosse linear igual ao antecessor. Eu gostei dessa linearidade do primeiro, e acho que até aquelas quests do XIII deixaram ele bem menos linear no final. Já o XIII-2 ele é menos linear, embora que obviamente você deve seguir uma história padrão pra chegar ao fim do jogo. Mas você pode ir visitando os mundos em tempos diversos, como ir pra Yaschas Massif em 10 AF e depois em 100 AF e ver o que mudou em cem anos.

O sistema de luta mudou pouco. O Crystarium ficou BEM melhor e possível de se upar sem sacrificar muito tempo. O sistema de monstros é complicado no começo mas depois dá pra pegar a manha. Basicamente os monstros que você pega supre a necessidade do terceiro integrante no grupo, já que é sempre o Noel e a Serah. E os monstros podem ser o que você quiser, Ravager, Synergist, Commando, etc.

E as lojas estão bem mais fáceis. Agora é tudo na Chocolina. Muito mais fácil, e ela é bem humorada, hehe. Sempre quando vou comprar eu faço questão de ouvi-la. Temos minigames, temos quests e pontos de exp e dinheiro de maneiras menos escravocratas do que era no XIII.

Agora ao enredo. Spoilers!

Gostei do começo, Serah deitada lá na cama, com sua saia de colegial japonesa e a roupa dela por mágica muda. Noel se apresenta, mas você só fica mesmo sabendo a rolada por detrás dele lá na frente, depois de passar por Academia.

Você vai pulando de mundo em mundo procurando a Lightning, e descobre que se você altera o passado, altera o futuro, e vice-versa. Não que isso vai ser algo muito relevante, mas é um detalhe interessante. O primeiro personagem das antigas que você encontra é o Hope, que cresceu e está comendo uma gatinha chamada Alyssa. Aí começam as perguntas: Hope tinha 14 e dez anos depois você encontra ele, com 24, em Yaschas Massif 10 AF. Até aí faz lógica, né? Mas porque diabos você encontra ele de novo em Academia 4XX AF? Dá uma desculpa esfarrapada que ele esteve hibernando.

Mas pelo menos ele dá explicação. Você encontra o Snow também em Sunleth Waterscape 300 AF, só que ele está apenas 2 anos mais velho, e não 300! E não explica como ele passou esse tempo todo só envelhecendo dois anos, ao invés de estar puro hoje pós-decomposição.

Eu não gostei do final. Legal aliás que tem vários finais, mas o "oficial" deu corda já pra continuação que será lançada em breve. Ver a Serah morrendo com música pop é pra deixar mais light? Ficou bizarro.

E aqui, a minha cena favorita! Foi tão bom revê-las, eu chorei, hehe.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog