segunda-feira, 22 de julho de 2013

Madalena.

Eu sou budista, mas tenho uma grande admiração por uma santa em especial.

Dia 22 de julho desse ano parece um dia e tanto. Não apenas pelo papa Chicão vir pro Brasil ou se a Kate entrar em trabalho de parto. Mas hoje o dia foi está sendo bem diferente.

Acordei e me deparei com o tempo super fechadão. Normalmente no meu aniversário vai um sol de rachar, isso a vida inteira. Eu não sou muito fã, mas desde que eu vi a previsão indicando hoje um tempo um pouco nublado e amanhã a temperatura despencando, achei que seria diferente. Porém, vindo ao trabalho, fiquei olhando pro céu, e ele foi mudando. As nuvens começaram a abrir e deu pra ver um céu bem bonito.

Chegando no trabalho abro o Facebook e vejo uma mensagem da Cris, dizendo: "Meu amigo irmão! Hoje não fez frio porquê o sol tinha que brilhar pra você. O sol é a luz do Buda. E acho que é ele que também nos une!"

Achei lindo! =)

Na verdade muita gente sempre chama a atenção pelo fato de eu fazer aniversário no meio de julho (inverno no Brasil) e o tempo justo nesse dia ser diferente.

Mas e a Madalena, o que em a ver? Eu vou confessar que minha paixão por ela começou como quase 90% das pessoas pelo Código Da Vinci. Mas aí fui pesquisando, pesquisando, pesquisando e descobri duas coisas: a primeira é que o que Dan Brown mostra é pífio comparado com a história inteira. Segundo: essa história inteira é bem melhor que qualquer uma do Dan Brown.

Nada a ver com o papo de Hieros Gamos que ele tanto cita, mas sim de um amor puro. Eu me via muito na pele da Madalena, apedrejado por todos até que alguém me protegeu, alguém me mostrou compaixão. Não estamos falando de fé, mas da força que sempre foi motriz da humanidade e nos trouxe até aqui: amor!

E um belo dia, pesquisando sem querer, descobri algo que, coincidentemente (coincidências existem?) que ela é a santa do meu dia, do dia 22 de julho.

Obrigado!! Muito obrigado!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog