domingo, 29 de dezembro de 2013

E como foi 2013 pra você?

Pra mudar um pouco a minha "retrospectiva", achei que seria legal fazer uma coisa que eu sempre quis: ser entrevistado! Só que eu sou uma criança solitária e brinco sozinho, logo uso muito a minha imaginação, porque tecnicamente quem vai me entrevistar sou eu mesmo!

Será que vai dar certo? =P

- - - - - - - - - - -

Alain! Que prazer recebê-lo hoje aqui nos nossos estúdios! Por favor, sente-se.
Ah! Obrigado, hehe! É um prazer estar aqui, boa noite platéia!

2013 sem dúvida foi um ano e tanto, não? Acho que como a área que você trabalha não estava muito aquecida, você ficou um bocado de tempo desempregado, não? Pode nos contar um pouquinho?
Nossa! Esse é um assunto grande, mas vou tentar resumir ao máximo. De fato, quando voltei de viagem estava sem emprego. Meu outro trabalho era uma agência na região ali dos Jardins, mas por conta da distância era muito estressante, e não valia todo o esforço pelo salário que eu estava recebendo. 2012 foi um ano inesquecível por tudo o que aconteceu, mas voltar à ativa foi bem difícil, demorou bastante.

Em janeiro comecei a enviar currículos. Tinha dia que eu mandava currículos pra vinte, trinta empresas diferentes. Usei tudo quanto era site, e inclusive a Catho Online, que ao contrário do que eles mostravam na propaganda, não conseguiram me colocar no trabalho, e sugaram o pouco de dinheiro que tinha no meu banco nesses seis meses. Na época que cancelei cheguei até a tuitar isso:


O mais difícil foi ver amigos meus na mesma condição. Tive dois bem especiais, ambos mais velhos, e com necessidade maior ainda. Não vou revelar nomes, mas uma era uma mulher que sofria de epilepsia, logo ela tinha que esconder aquilo porque não tinha família e precisava trabalhar (pra quem não sabe, quem tem epilepsia não pode trabalhar, e caso tenha algum ataque é demissão com justa causa) e o outro era um amigo meu jornalista, que inclusive sustentava uma família, e tinha que viver com os pais e estava passando por muitas dificuldades. Muitas vezes eu orava pelos Budas e implorava: "Dê um emprego pra eles ao invés de mim. Eu não ligo de esperar mais um pouco, mas eles precisam mais do que eu".

Minha nossa! Quer dizer que você ficaria mais feliz em ver eles empregados do que você mesmo? Mas isso não é certo, você está causando problemas na sua carreira e tudo mais!
Mas sinceramente, não ligo. Acho que uma fé verdadeira é só essa que você dedica pra ajudar os outros. Meu avô me ensinou isso, e hoje na minha religião (Alain é budista, praticante da Shinnyo-en) consigo praticar isso que acreditei desde criança. Eu nunca comentei abertamente no blog essa fase sem emprego, sequer postei quando entrei na agência que estou agora, no dia treze de junho desse ano.

Pessoas me perguntavam "Como você tá vivendo?", e eu dizia que eu estava bem, e acho que foi algo necessário. Junho foi um mês complicado. Tiveram os protestos, várias greves, a tentativa de suicídio da Paris Jackson.

Muito bem, muito bem. Mas acho que se formos falar do ano, acho melhor começamos do início, né? Em janeiro sem dúvida o destaque foi sua hospitalização. Todos nós ficamos torcendo pela sua recuperação!
Puxa, sério? Muito obrigado! Mas foi complicado mesmo. No dia 28 eu tive um acesso de dor terrível no meu lado direito do abdômen. Era uma dor terrível que se expandia até o testículo. Uma dor de alguém te dar um chute lá já dói muito, e aquilo parecia ainda pior, junto com a dor na área onde fica o rim. No dia, mesmo eu de cama com dor, pedi ajuda pros Budas para que me protegessem, até que a dor do nada passou.

No médico no outro dia, mesmo sentindo nenhuma dor, eu fiz uma bateria de exames. Foi quando o médico disse que tinha achado uma pedra no canal que liga o rim e a bexiga, e ela tinha 0,7mm. Ele não entendia como eu não estava sentindo dor, porque era pra eu estar gemendo no chão de dores. Disse que era necessário retirá-la, e no dia 29 fui hospitalizado para que na manhã no dia 30 eu fosse operado. Até tirei uma foto depois:



Mas teve coisas boas também. Eu fiz três anos desde que fui conectado ao Ensinamento Shinnyo. Dizem que existe um ciclo de três anos, e que normalmente você só é bom em alguma coisa ou pode dizer que gosta ou não depois de um período de três anos se dedicando. Bom, já desde muito antes de fazer três anos eu sabia que não consigo mais viver hoje sem a Shinnyo-en. É parte integrante da minha vida e sou incrivelmente feliz em ser budista!

Quantas emoções, hein Alain? Mas que ótimo que acabou tudo bem, né? E depois?
Os outros meses foram meio mornos. Pelo pelos esses do começo do ano. Mas agradeço imensamente aos meus pais por não me privarem de ir ao templo, mesmo sem dinheiro.


Em março, um dos meus melhores amigos se casou, foi algo incrível!

Foi uma festa bem simples, mas deu pra aproveitar bastante. Ele encontrou uma boa esposa e estão felizes.

Em abril eu não postei isso, mas depois mais pra frente postei. No final do mês recebi um e-mail da minha queridíssima e uma das melhores amigas, Denichan, dizendo que nós tínhamos sido escolhidos para ir a um fórum budista em Chicago, nos Estados Unidos.

Eu lembro disso, Alain! Você estava sem emprego inclusive, não? Muita gente leu os seus diários sobre Chicago!
Pois é! Dá pra ler tudo aqui. Mas se eu ficar falando de Chicago, vou ficar falando só de Chicago, e o post se tornará uma bíblia, pois sem dúvida, foi a melhor coisa que me aconteceu.

Teve coisa que pensei que fosse ruim, e depois vi que foi ótimo na verdade. Acho que quem também frequenta o templo comigo sabe das dificuldades que passei em maio, onde tive uma espécie de teste de fé, que não posso falar muito aqui sobre. Realmente pensei em deixar o ensinamento budista, deixar tudo. Mas fui alvo de uma imensa compaixão dos Budas e depois entendi que a tal "falha" na verdade foi necessária para um salto muito, muito maior, que veio se concretizar em outubro. E correu tudo bem no final das contas!

De junho já falei em cima, acho que é melhor eu saltar pra julho, não?

Claro! Julho, seu aniversário. E o inferno astral?
Nem foi tão forte, sabia? Pelo contrário. Meditando em julho tive uma visão muito bonita, e conheci uma antepassada minha, uma índia. Foi uma experiência transcedental e única. Foi no dia sete de julho, jamais vou esquecer!

Ter o futuro herdeiro do trono britânico fazendo aniversário junto de mim foi uma honra e tanto. Ainda mais eu que, quando estava em Londres, vi o anúncio da gravidez da Kate. De fato, o país inteiro deveria estar na expectativa. Kate colocou "Alexander" em minha homenagem, fiquei muito feliz!

Em julho tinha ido atrás do visto americano para ir pra Chicago. Sim, foi um PARTO! Mas correu tudo bem.



E Chicago, cara? Onde você foi parar?
Hahaha! Nossa, até hoje nem acredito direito. Foi inesquecível. Embarquei em agosto, no dia 15 embarquei e no fórum ocorreu tudo bem, assim como passear em Chicago. E como sempre... (Alain faz um silêncio)

O que? Conheceu alguma gatinha?
Sim e não, haha. Eu brinco muito, mas no fundo eu fujo sempre. Mas conheci uma japonesinha lindíssima e simpática, mas infelizmente a distância vai tratar de fazer com que tudo isso fique apenas no impossível. Eu fico triste, mas ligo muito não, a vida prossegue. Se for pra ser, vai ser, se não for, espero que ela seja enormemente feliz.

Todos os dias foram uma escola lá. Escrevi muito sobre, mas ainda gosto de rever todas as emoções e viajar na minha mente como se estivesse novamente lá. A circunstância foi única, quando recebi a notícia que iria pra Chicago estava sem emprego, sem perspectiva de nada. E tudo foi entrando nos eixos e no final tudo deu mais que certo. Sou eternamente grato aos Budas por tudo.

E de setembro pra cá?
Em outubro, como disse, foi a confirmação daquilo que eu achava que era ruim, que aconteceu em maio. Acabei dando um passinho a mais na elevação budista, graças a toda ajuda dos Budas que recebi. Eu lembro que pouco tempo antes, enquanto andava durante o horário de almoço no meu serviço, uma música não me saía da cabeça: Felicidade.



Em novembro tive uma baita duma crise de diarreia. Era uma dor terrível, e me deixou uma semana inteira fora do trabalho praticamente. E como um fantasma, a pedra no rim voltou, mas era só diarreia dessa vez.

E em dezembro lançamos o vídeo de incentivo do Treinamento de Inverno 2014 no templo.

Uau Alain. Foi um ótimo ano, hein?
Sem dúvida! E que venha 2014! Muito obrigado por tudo, e obrigado a todos por toda a força. Foi inesquecível!

Nós que agradecemos, Alain! Continuaremos ligados aqui no seu blog. Boa sorte!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog