sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Como é bom sonhar contigo!

Sempre quando viajo trago coisas além da experiência e lembranças. Muitas vezes acabo conhecendo pessoas incríveis. E conheci uma menina incrível em Chicago. Tão incrível que gostaria de passar mais tempo com ela, nem que fosse só do lado.

Essa noite tive um sonho muito bom. E acordei muito feliz!

No sonho, eu estava no Terminal Santo Amaro. Tava meio escuro e tal, mas aí vi várias pessoas passando, e umas três meninas com aquelas jaquetas universitárias americanas, azul nos braços e amarelo no tronco. Estava com uma calça legging preta, mas não pude confundir quando vi seu rosto.

Era ela!

Nós dois nos abraçamos ternuramente, eu lembro que estava tão feliz que beijava muito a bochecha dela, pois não acreditava que era ela que estava ali! Ela também parecia muito feliz ao me ver. Mesmo eu estando no Terminal Santo Amaro, era o mesmo Terminal só que nos Estados Unidos. Nessa semana eu tive um sonho similar com uma amiga (mas essa é só amiga, calma!) no mesmo Terminal, acho que ele psicologicamente deve significar algo pra mim.

Enfim, voltando a essa minha japonesinha que mora nas América: Ela disse que tinha ido lá pra resolver uns problemas sobre uma casa da família dela, um imóvel que ia ser alugado, algo assim. Como foi uma coincidência nos encontrarmos, perguntei porque não íamos dar uma volta na vizinhança.

E foi lindo. Tudo era perfeito. Era aquela vizinhança típica americana, grandes jardins, casas de madeira. O sol estava poente e tudo parecia um cenário de filme romântico. Andávamos de mãos juntinhas, ela encostada no meu ombro, como se fôssemos um casalzinho apaixonado. Ela me falava que ia vir morar no Brasil, que a empresa que ela trabalha ia abrir escritório no Brasil, e inclusive estava arriscando umas palavras em português!

Teve coisas bizarras, como todo sonho. Teve uma imensa ladeira (que de uns tempos pra cá, SEMPRE aparece de uma forma ou outra nos meus sonhos) que dava numa casa abandonada e um castelo ao fundo. Perto dessa ladeira (no sonho, ela estava bem meiga, mas já teve sonho que eu vi essa ladeira e morro de uma maneira bem tenebrosa) tinha um rapaz negro que parecia meio retardado/bêbado. Ela tirou um sarro dele, ele falava nada com nada.

E em outro ponto estávamos numa calçada e tinha algo bloqueando. E nela tinha um ser, todo feito de madeira, parecendo aqueles soldadinhos de chumbo. A menina disse pra passarmos por detrás dele, com toda a calma, pra não acordá-lo, que se ele nos visse passando, ia nos matar.

Eu gosto muito dessa menina. Não conversamos muito, adoraria que tivesse uma oportunidade como no sonho, de bater um papo, nos conhecermos melhor. Foi o caso típico de "amor a primeira vista", não nego, mas volta e meia me pego pensando nela, e pensando nesse romance impossível entre um rapaz do Brasil e uma donzela nipo-americana.

No sonho, algo na minha mente falava: "Não é sempre que você encontra com ela. Aproveite cada segundo, cada olhar, cada abraço, cada toque como se fosse o último. Como se não houvesse amanhã". Talvez seja por isso que acordei tão feliz! Mesmo que tenha sido um sonho, aproveitei todos os momentos de carinho e quando andávamos de mãos dadas conversando sobre nossas vidas.

Não dá pra negar que foi bem romântico esse sonho, não? =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog