quinta-feira, 15 de maio de 2014

Aceitar as coisas do jeito que elas são.

Hoje estava andando de metrô quando uma mulher virou do nada e quase esbarrei nela.

Virei discretamente e continuei andando pro lado, desviando da donzela. Lembrei de como eu era antes da prática budista, e tenho quase certeza que mesmo uma coisa trivial como essa, teria me deixado muito p* da vida.

Acho que é aquele pensamento de querer que tudo esteja certo, funcionando bem, e redondinho. Não vou dar uma de "perfeito" porque sou humano, também existem circunstâncias que me deixam com raiva, mas hoje são bem menos.

O problema é termos o desejo que nada modifique, que o ônibus sempre esteja vazio, que os semáforos sempre estejam acesos, e que nossa vida nunca tenha problemas. Mas esse que é o problema! Quanto mais pessoas tem esse pensamento, mais acabam sofrendo, pois é mais fácil se adaptar e saber conviver, do que ir contra o ciclo das coisas.

Buzinar vai melhorar o trânsito? Porque ao invés de ter esse desejo que nada mude, você não a aceita e busca maneiras de conviver com isso? Pode tentar um outro caminho, ou usar o tempo no carro fazendo outra coisa, ouvindo música ou algo assim. Não podemos ir contra as circunstancias da vida, temos que nos adaptar.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog