quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Como respeito aos gays ajudariam os héteros?

Antes de mais nada, eu sou homem e hétero, e essa visão é de uma pessoa realmente sem preconceitos que tem muitos amigos(as) gays e não vê problema nisso. Quero trazer à reflexão algo que há muito venho observando na sociedade.

- - - - - - - - - - -

O primeiro ponto que queria discutir é o machismo. Sim! O machismo. Essa merda que causou mortes, estupros, violência, discriminação, e que muitas pessoas ainda acham que é preciso ser macho antes de ser homem.

Mulheres, crianças, homossexuais, muitas pessoas são alvo do machismo. Mas o que quero discorrer aqui é que machismo é muito danoso para homens também. E que talvez estejamos vendo o embrião de uma transformação social muito boa, tal como foi na década de sessenta com o estouro do feminismo.

Homens evoluíram muito pouco em comparação ás mulheres. Mas, graças ao movimento feminista, e os ecos até os dias de hoje, os homens mudaram bastante também. Hoje em dia existe muito respeito, não existe mais casamentos forçados, e por mais que muitos neguem, casais nos tempos de hoje se relacionam de uma maneira muito diferente do início do século. Óbvio que existem milhares de coisas para se melhorar, mas o movimento feminista não beneficiou apenas mulheres - os homens mudaram também. Ao ponto de a coisa ser tão natural hoje em dia que a geração com mais mão de ferro já se foi, e coisas que eram naturais lá atrás, hoje são inconcebíveis.

No meu último trabalho eu trabalhava com dois caras, de mais de quarenta anos. Eu achava engraçado como eles não aceitavam a cultura gay em ascensão hoje em dia. Eu aceito, e nem por isso sou um. Mas o fato de "aceitar" era algo terrível e nojento pra eles, e aí vi o enorme desfiladeiro que divide as gerações.

Porque eu, hétero, devo apoiar o movimento gay?

Tudo está no problema sério do machismo. Não falo do machismo de pedreiro de chamar a mulher de gostosa na rua, essa é apenas a ponta do iceberg, mas sim como o machismo engessa a nós homens, que temos que seguir um padrão de comportamento, e caso não seguirmos somos alvo do próprio machismo de diversas maneiras - e mesmo vindo de mulheres! Existem muitas mulheres tão machistas como homens, isso é inegável e conheço umas doze. Doze mil.

Quer ver um exemplo? Eu sou um homem que se emociona. Eu choro, oras. E chorar nunca me fez sentir atração por homens, uma coisa não tem nada a ver com outra. Pode parecer algo bobo, afinal sempre um homem chorando na tevê causa uma certa comoção, mas a minha questão é: homens tem tantos sentimentos quanto mulheres, não deveria haver a comoção, deveria ser algo... Natural!

O homem mudou muito com o movimento feminista. E talvez daqui a uns 30 ou 40 anos, veremos o quanto homens mudarão com a ascensão do movimento LGBT. Poucos homens devem saber, mas o padrão de homem musculoso (que inclusive muitas mulheres curtem) foi algo criado no movimento gay. Até então, ser másculo era ser extremamente magro. Pode ver as fotos na década de sessenta ou setenta. Foi uma estética criada por gays e posteriormente adotada por héteros. E as influências boas não acho que se limitariam apenas ao aspecto da aparência.

O machismo, por exemplo, me impede de ser um homem com sentimentos. Lágrimas nos olhos não definem com quem quero passar a noite. Mas espero que daqui a alguns anos olhem pra trás e vejam que o machismo além de ter causado violência contra a mulher e agressão contra gays, também engessou comportamentos masculinos que faziam parte de nós o tempo todo. E acima de tudo, aceitar isso nunca vai ditar se você gosta de xoxota ou piroca.

Por isso vejo o movimento gay e mesmo sendo hétero, eu torço muito por eles. E quem sabe daqui a alguns anos daremos risada do discurso de pessoas como Levy Fidelix, e não ficaremos estarrecidos como é hoje em dia.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog