terça-feira, 16 de dezembro de 2014

13 Almas do Joelma.

Dia 3 de junho do ano passado eu fui conhecer e prestar respeito para as Treze Almas do Joelma. Eu tenho muita pena de quem morre em incêndio, acho uma morte terrível - tão terrível como qualquer outra, óbvio. Quando fiz um curso de combate a incêndio no meu primeiro emprego, os instrutores nos mostraram alguns vídeos de um dos piores incêndios da história do Brasil, o do Edifício Joelma, em 1974.
Tive muita dó, muitas pessoas morreram nesse acidente. A Boate Kiss ano passado também. Nesse eu passei tão mal enquanto ouvia as notícias que fui internado e tive que passar por uma cirurgia de pedras no rim, pois simplesmente não conseguia fazer outra coisa a não ser chorar enquanto ouvia as notícias e a tristeza dos familiares.

Existe até um vídeo do Linha Direta sobre isso. Óbvio, recheado de suspense. Mas dá pra se ter uma idéia. Minha primeira visita como disse foi no dia 3 de junho de 2013, onde prestei respeito a eles, recitei alguns mantras, e tirei essa foto:


Fiquei abismado em como as pessoas faziam pedidos para as 13 Almas. Vários cartazes, flores, imagens, todas agradecendo a graças alcançadas pelas 13 Almas. Mas acho que embora as pessoas viessem pedir coisas para essas pobres almas, não sei se todo mundo orava por elas, para que elas descansassem.

As pessoas colocavam copos de água em cima das lápides, como dá pra ver na foto. Dizem que as pessoas ouviam vozes deles ainda pedindo por socorro, pedindo por ajuda, e a forma que as pessoas acharam de aliviar as vozes era por oferecimento de água, já que todas elas morreram carbonizadas.

Toda vez que ouvia isso eu ficava muito triste. Queria sim que elas enfim descansassem, e parassem de sofrer. Acho lindo e mágico que almas tão bondosas mesmo apesar do seu sofrimento, sempre colocaram as outras pessoas em primeiro lugar, ajudando as pessoas daqui a conseguirem curas de doenças, empregos e até moradia. Eu via um espírito budista incrível nelas - mesmo que aquele lugar fosse dominado por oferendas cristãs.

Resolvi então todo mês, pelo menos uma vez, oferecer um pedido de consolação espiritual budista para as 13 Almas na Shinnyo-en. Antes de postar isso eu pensei bastante, mas queria postar com o espírito de mostrar que quando se acredita, as coisas mudam, mesmo que você pareça estar sozinho. Basta ter sinceridade.

Eu sou um grãozinho de areia na palma da mão da imensa compaixão dos Budas, eu sou absolutamente nada, e tenho poder nenhum. Embora eu tenha feito os pedidos de consolação espiritual para as 13 Almas do Joelma, todo esse meu esforço foi apenas 0,01%. Todos os 99,99% foram parte da benevolência e compaixão dos Budas.

O que mais me machucava era ver aqueles copos d'água ali. As pessoas colocavam os copos pois as almas gritavam de dor, e a água os aliviava. O que eu pedia para os Budas era que essas almas enfim descansassem, e não precisassem mais de água, que enfim encontrassem a compaixão dos Budas.

Hoje me deu na cabeça que eu deveria ir lá. Peguei minhas coisas de oração, coloquei um amuleto budista pra proteção no bolso (não que eu tenha medo, mas prevenir é o melhor remédio!), e fui até o Cemitério São Pedro novamente, mais de um ano e meio depois da minha última visita.

E quando chego no local onde as 13 Almas estão enterradas, tenho uma bela surpresa:


Não havia nenhum copo d'água! Apenas lindas flores.

Não consigo descrever minha felicidade quando vi isso! Estava um belo dia de sol, olhei pra cima e agradeci muito aos budas, pois parecia que enfim aqueles almas estavam felizes, não estavam sofrendo. Foram abraçados pelo grande amor benevolente dos Budas.

Eu tirei foto apenas de uma das lápides, mas nenhuma delas tinha nenhum copo d'água. Em gratidão, recitei alguns mantras, inclusive o Mantra da Benevolência e do Poder de Salvação de Achala. Enquanto recitava sentia que as 13 Almas estavam entoando em unísono comigo. Senti como se elas quisessem agradecer aos Budas por toda a ajuda estendida, e enfim terem conseguido um descanso. E eu agradeci por todas as preces não terem sido em vão, e por ter ajudado-os, essas vítimas anônimas que resguardarão todas as outras que morreram nesse trágico incêndio. =)

Desde junho do ano passado, como disse, não visitei mais o túmulo das 13 Almas. Mas nunca me saiu da mente eles. Estou feliz, muito feliz. Vê-los bem foi o melhor presente de Natal que eu poderia receber. =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog