quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A Viagem (Cloud Atlas)


Eu gosto de cinema. E eu vejo muitos filmes. Mas só posto aqui os que realmente merecem.

Eu vi esses dias Cine Majestic e Homem de Aço, por exemplo. Mas detestei ambos, não mereciam ser postados aqui. Nada contra o Jim Carrey, eu prefiro ele fazendo papéis dramáticos como em Cine Majestic, Brilho Eterno de uma mente sem lembranças, etc. E o Homem de Aço ficou legal. Mas Superman precisa de duas coisas pra ser Superman: Lois Lane e Lex Luthor. A Lois estava lá na pele da Amy Adams (gata!), mas poderia ser a Erica Durance do Smallville (peitos! muitos peitos!!), mas... Cadê o fucking LEX LUTHOR!?

Mas esse filme A Viagem me ganhou!

Primeiro, que raio de título é esse? Cloud Atlas, o título original em inglês, faz todo o sentido, embora seja meio difícil associar ao filme esse título também. Simplesmente é difícil qualquer título que sintetize o filme. É um filme que lembra, bem de longe, Closer - Perto demais, mas sem o Jude Law pra estragar o filme.

São seis estórias que ocorrem em diversas épocas distintas, e no final todas acabam se unindo - mesmo com as diferenças de tempo e espaço. Confuso? Só pra explicar. A estrutura ficou montada de maneira genial.

É meio difícil de sintetizar o filme assim. Eu achei um roteiro bem original, nada linear, mas não é confuso como Inception, por exemplo. O filme tem um ritmo muito bom, porque quando tem ação ou suspense, tem isso em todas as histórias ao mesmo tempo. Logo, não fica perdido, tipo um tiroteio em 2144 e povo pacificamente num barquinho em 1849. E todos os desfechos dos seis mundos são muito bons.

Mas além do roteiro, o filme mostra que tem excelentes atores. Porque são seis mundos: 1849, 1936, 1973, 2012 (ano que o filme foi lançado), 2144, e 106 invernos depois da Queda (deve ser tipo Chrono Trigger, esse último deve ser o "The end of time"), e nos seis mundos os atores se repetem, mas em papéis totalmente distintos. Especialmente o Tom Hanks, Halle Berry e Hugo Beaving (SIM, o Sr Smith de Matrix!). Não é apenas uma coisa de maquiagem, mas de capacidade de atuação mesmo, e isso só confirma o que eu sempre imaginei: que todos são atores do caralho.

Enfim, vamos para uns spoilers marotos?
Eu avisei, não diga que não avisei!

Eu entendo que quando você vai fazer um filme, normalmente o cara mais caro é quem acaba sendo o principal. Tipo Código Da Vinci, embora tenha ali pelo menos uns quatro ou cinco personagens que são cruciais pra história, o famosão é o Tom Hanks. E aqui, colocam o Tom Hanks como o protagonista, quando na verdade, acho que dentro da história, não é!


O protagonista pra mim, chupem Hollywood, é uma koreana bonitinha Sonmi 451, interpretada pela koreana gatíssima Bae Doona.

Dos seis mundos que o filme mostra o que mais é de tirar a tampinha da cabeça é o futuro apocalíptico de Neo Seoul, em 2144. É engraçado ver o povo nunca fazendo um futuro próspero, e sim, sempre apocalíptico, e o de Neo Seoul desse filme é um dos futuros mais chocantes que já vi em filmes (incluindo os de Blade Runner e O Soldado do Futuro).

Mas porque ela é protagonista? Só porque mostra uns peitinhos?

N-Ã-O!

Acho que de todas as seis historinhas a dela é a que mais toca quem vê o filme. Primeiro fato de viver presa como garçonete por não ter sangue puro (e a atriz é koreana da gema, não entendi direito isso do filme). Programada pra viver servindo as pessoas, tomando uma massa triturada de carne humana, e que a história dela se assemelha muito ao conto da caverna de Platão. Típico dos irmãos Wachowskis, os mesmos que fizeram Matrix (eles curtem o Hugo Weaving também, né? É tipo o Tim Burton sem Johnny Depp).

A mina é tão foda que a vida dela vira tipo uma religião no mundo depois dela. E é muito bom ver ela descobrindo o mundo, e uma das cenas mais tocantes é quando ela coloca o ouvido no peito do mocinho dela e ouve o coração dele. Nem ela sabia que existia algo assim dentro das pessoas. Muito foda.

A atuação dela foi praticamente uma unanimidade de elogios. E tenho que tirar o chapéu pra ela também. E quem diria, huh? Ela fez a Samara do poço na versão do "The Ring" koreano. É mole?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog