sábado, 28 de março de 2015

007 contra o Foguete da Morte (1979)


Esse é um dos meus no top five dos meus filmes favoritos de James Bond. Como não gostar de 007 contra o Foguete da Morte? Não é apenas porque ele vem pro Brasil, mas é um filme que tem ficção científica, vilões clássicos, uma BondGirl linda e inteligentíssima, e uma trama redondinha de investigação. Não tem como não gostar de 007 contra o Foguete da Morte.

No filme Bond tem que investigar o roubo de um foguete que estava sendo transportado por um avião. Porém, ônibus espacial foi roubado de cima do avião em pleno vôo. E o ônibus espacial pertencia às empresas Drax, cujo dono, Hugo Drax é mais rico que Bruce Wayne e Tony Stark juntos. Sério.


O cara é tão rico que tem uma estação espacial, mas por algum motivo de merda ele quer acabar com a humanidade espalhando um vírus na atmosfera. Acho que esqueceram de avisar a ele que essas pessoas que ele queria matar são as que fazem dinheiro pra ele. Afinal, de volta na Terra sem nenhuma pessoa como ele iria sobreviver, né? Comendo um estoque de Doritos? Faltou planejamento, Drax, planejamento!

Eu vejo Hugo Drax e penso: um cara desse caga tanto dinheiro que não sabe o que fazer, e resolve destruir o planeta por simples prazer. Na verdade ele tem um plano lá de criar uma raça superior, por isso ele leva vários jovens sedentos por sexo para procriarem na nova Terra que ele criar depois de matar todos nós. Só tem mina top!


O filme foi homenageado no game GoldenEye 007 (acima), lançado em 1997 para o Nintendo 64! Uma das fases secretas chama-se Aztec, pois não sei porque diabos mas os produtores do filme achavam que os Astecas viviam nos confins do Pantanal brasileiro e ainda acho que pode ser que tenham pessoas ainda que pensem que é aqui no Brasil que ficam as ruínas dos astecas... Na fase você não consegue entrar no foguete nem nada, na verdade você tem que ligar o foguete e depois ver ele subindo aos céus.

Vagamente baseada nessa cena do filme, onde Bond e Holly Goodhead estão pra ser incinerados pelo foguete do Drax:


Tem uma cena muito interessante no começo do filme, quando Bond vai direto nas empresas do Drax pra achar pistas sobre o sequestro do foguete. Drax tem até sua floresta particular, com patos selvagens (tipo o Patolino), que ele caça. E você achando que só funk que dava ostentação, né?

Numa dessas cenas ele desafia Bond pra acertar um pato, no maior estilo Duck Hunt. Só que havia um maluquinho com um sniper mirando em Bond em uma árvore. Bond mira nos patos e atira, só que aparentemente erra. Vou deixar um video com esse trecho explicar o resto:


"You missed, Mr Bond"
"Did I?"

Em Veneza, antes de ir pro Brasil (calma que eu tô chegando lá!) enquanto Bond está buscando pistas de empresas ligadas ao Drax e o potente vírus que ele está fazendo pra matar a gente, tem mais uma daquelas cenas clássicas de ação de James Bond. Bond em uma gôndola em Veneza. Só que é uma gôndola motorizada, que inclusive cria rodas e pode correr fora d'água.

Essa cena é uma cena símbolo pra mostrar como o Bond na era Roger Moore era um cara da zueira. Porque a zueira never ends, Mr Bond! A cena é tão surreal, com tantos detalhes engraçados que transforma em poucos segundos James Bond em um filme de comédia. Uma coisa só vista na era Roger Moore, com seu humor escrachado, bem numa época em que Bond era parodiado por inúmeras séries:


A cena inteira é da zueira. Mas salte para os 2m30s. ;)
Vou descrevendo os detalhes legais e vão pausando pra conferir.

2m40s - Grupo de orquestra começa tocando uma música clááááássica que combina com Italia, correria, e inicia a zueira!
2m43s - Um marinheiro fica abismado em ver uma fucking gôndola andando na rua.
2m46s - Um cara tomando uns drinks na praça vê que talvez tenha exagerado nas bebida ao ver a gôndola (ele aparece em outro filme também, e também na mesma situação, hahah!)
2m50s - Um tiozinho pintando na praça tem o quadro roubado por Bond.
2m55s - Um pombo no ritmo do bundalelê.
2m58s - Um cãozinho incrédulo cerrando os olhos.
3m01s - Olha o copo, garçom!

Enfim, se fosse escolher uma cena pra exemplificar como eram os filmes de James Bond na pele de Roger Moore, eu escolheria essa! Zuera pura!

Agora vamos falar do Brasil!


James vem buscar pistas das bases de operação de Drax no Brasil. E sim, é filmado no local! Nessa cena acima Bond está no topo do Pão de Açúcar, onde tem o bondinho. Tem inclusive cenas de ação com o Jaws cortando com os próprios dentes de aço a corda que suspende o bondinho.

Sim, estamos falando de um carnaval onde ainda não existia AIDS , em 1979. Mas existia sífilis, gonorréia, cancro mole, verrugas genitais e herpes. Não sei se o pessoal usava camisinha, mas nas cenas onde mostra o carnaval no Rio os foliões andam praticamente PELADOS na rua. Sério, se vocês acham que a putaria tá rolando solta hoje em dia, vá pedir satisfações pra época dos seus pais ou avós, porque essa época sim é que a putaria rolava solta por aí. O povo de hoje em dia é tudo santinho comparado com antigamente...

Q no filme acha o local onde estão as bases do Drax no Brasil para lançar seus foguetes. Eu juro, no filme ele fala que eles estão instalados na região do Rio Amazoco (WTF???) e Bond diz que isso deve ser na região do Rio Tapirapé (que de fato existe) perto da ilha do Bananal, no sul do Tocantins.

Não vou dizer nada. Apenas olhem só a paisagem desse tal "rio amazoco", no Tocantins:


Não é preciso ser um gênio pra saber que isso não é a Bacia Amazônica, e sim... O Iguaçu. Deve ter muita gente pensando que o Iguaçu ficava na Amazônia, mas sinto muito fellas, é beeeem mais ao sul.

E aí ele passa por essas cataratas, dando um rolê a pé, e acha a base do Hugo Drax:


Esse local é óbvio que nós brasileiros sabemos que não é no Brasil. São as ruínas de Naachtun, na Guatemala. Uma ruína... Maia! Diga-se de passagem ela foi descoberta no meio da mata, e Bond acha na mesma situação: andando no meio da mata. Que clichê!

Peraí, deixa eu ver se entendi. Bond foi pra bacia amazônica, percorreu o rio "amazoco" e caiu nas cataratas do Iguaçu. Depois caminhou um pouco e chegou na Guatemala, ao norte, pra lá da Amazônia. Cara, que viagem do inferno! Não sei se os diretores acharam que algum brasileiro ia reparar nesses sérios erros no filme, mas enquanto assistia reparei nos detalhes e isso me deixou abismado com a quantidade de erros, hahaha!

Eu poderia ficar aqui falando do filme, porque é um dos meus favoritos, por horas! Mas vou falar do espaço e da BondGirl e fechar o post. Está cansativo.

Bom, o filme foi lançado em 1979. Star Wars foi lançado em 1977. Era um hype na época, mesmo depois da Corrida Espacial ter acabado com o homem pisando na Lua dez anos antes do filme. E Bond, cansado das fronteiras do nosso planeta vai pro espaço. Na Estação Espacial do Hugo Drax, imensa, com direito até a gravidade artificial. Realmente o cara deveria ser podre de rico mesmo. E tem cenas de batalhas no espaço que são obviamente muito copiadas dos filmes do tal "Jorge Lucas", aquele do Star Wars:


Coloca o tema de Star Wars e seja feliz! Hahaha.

E o Jaws? Impossível não falar dele. Um dos melhores vilões da série James Bond, ele aparece pela segunda (e última vez) num filme. Sua estréia foi no filme anterior, 007 - O espião que me amava, e nesse aqui ele volta como vilão e tem muito mais cenas que aparece. Inclusive ele tem até uma namorada, uma menina loira (e peituda) de 1,53m, enquanto ele deve ter mais de dois metros sem dúvida:


(sério, é meio desproporcional. Mulheres baixinhas normalmente tem bundinhas grandes, mas peitos assim numa em alguém com essa altura é uma das raras vezes que eu vi!)

E agora, pra terminar o post com chave de ouro, vamos falar de uma das BondGirls mais legais e lindas. Holly Goodhead (Lois Chiles) é uma das BondGirls mais inteligentes. Além de trabalhar pra CIA, ainda estudou um pouco na Nasa, e estava infiltrada nas coorporações Drax como cientista. É mole?


Em várias encrencas que Bond se mete sempre a Goodhead tá lá pra safar Bond e salvar com seus conhecimentos em praticamente tudo - de computação, até física espacial. E ela é uma personagem super segura de si, se dorme com Bond não é porque foi enganada, é porque queria usar o cara mesmo.

E além de tudo prova aquele dilema de muitas mulheres: é possível ser linda e poderosa, e inteligente. ;)



Não sei se era comum isso, mas parecia que esse povo dos anos setenta gostavam que criar o bicho solto. Tem uma cena em Veneza onde eu, assistindo o filme em tecnologia HD, puder que que ela está claramente sem sutiã. Não achei imagens boas na internet, mas é nessa cena acima! E não me venha com essa de que sou homem e só penso nisso (ou só eu repararia nisso). Não tem como não ver! xD

Enfim, a cena final do filme é simplesmente de dar risada. James Bond faz o que muito cara é curioso pra experimentar: sexo no espaço. A cena é muito engraçada, pois enfim os secretários conseguem contatar o ônibus espacial, e iam transmitir as imagens do interior do ônibus espacial inclusive para a Rainha da Inglaterra. E o que aparece na tela?



E pra fechar com chave de ouro o filme, o Q faz um comentário épico e engraçadíssimo:

"I think he's attempting re-entry, sir".

E que re-entrada! Hahahaha!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog