segunda-feira, 25 de maio de 2015

The end.

Hoje tava lembrando que vai acontecer nessa noite o Lanternas Flutuantes.

E lembrei da última vez que fiz a dublagem pra português dessa cerimônia. Eu fiz as vozes masculinas e você as femininas. Aquilo foi tão divertido! Naquele tempo era tudo mais fácil, você estava sempre lá, e mesmo que eu já te olhasse com olhos apaixonados, eu ficava quietinho, pois mesmo que eu não tivesse você do meu lado como minha companheira, eu ainda tinha você lá do meu lado. Com todos os defeitos e qualidades, mas ainda tinha você lá.

E hoje enquanto eu andava na rua lembrei daquele tempo.

E comecei a pensar muito. Em tudo o que aconteceu. Inclusive as minhas frustradas declarações apaixonadas pra você.

Karma é sempre essa bosta que a gente tem que dar um jeito de superar. Ao mesmo tempo os Budas estão vendo nosso esforço, mas ainda assim muitas vezes é um caminho que devemos trilhar, independente da imensa compaixão que os Budas depositam na gente, nos ajudando a carregar o fardo. Mas no fundo, depois que começamos a superar, a ver uma luz no fim do túnel, a coisa vai melhorando.

E nessa caminhada muitas coisas vieram na minha cabeça.

Engraçado que eu sempre fui uma pessoa que sempre apoiou você voltar a estudar. Queria mesmo que você fizesse algo que te fizesse feliz. E, por ironia do destino, sei que um dos fatores que mais pesou pro seu "não" pra mim foi a sua faculdade. Nesse momento, por alguns dias, eu realmente me arrependi muito de ter te incentivado a voltar a estudar, hehe.

Mas isso era infelizmente ser possessivo. Muito foi por aquela lembrança que eu tive daqueles tempos antigos quando nós éramos muito amigos. As coisas eram bem mais simples, sabe? Eu sinto falta, muita falta, mas sei que se voltar a ter amizade contigo eu vou inevitavelmente me apaixonar mais uma vez. O jeito é viver.

Se antes eu pensava que esse tipo de vida ia me fazer triste, hoje eu penso de outra maneira.

Nessa caminhada eu vi que nada me faria mais feliz do que ver você feliz. Apoiar você na sua escolha, e continuar todas as preces e energias, mesmo que seja distante fisicamente de você. É isso que você quer, é isso que vai te fazer feliz. Mesmo que depois que tudo terminar você fique com um outro, ou mesmo que encontre o homem dos seus sonhos, eventualmente. É isso que vai te fazer feliz!

Por mais que antes fosse difícil entender isso, hoje parece algo muito claro. Eu realmente fui um idiota. E o preço a pagar por isso é esse, mas eu não ligo. Quero que você estude, quero que seja feliz, quero que você encontre o que te faz feliz! Não quero que você desista de nada. Mesmo que eu não possa ver seu sorriso, quero fechar os olhos e imaginar que você está feliz. Mesmo que eu não possa estar do seu lado, quero imaginar que as pessoas que estão do seu lado estão felizes junto de você. Mesmo que eu não possa te apoiar verbalmente você a buscar seus sonhos, quero de longe manter a meditação e te ajudar sempre.

E pelo resto da vida quero manter as lembranças de quem é você. E quem foi você na minha vida. A pessoa que talvez tenha sido a paixão mais completa da minha vida: começou platônico, depois teve a fase da negação, a fase da vergonha, a fase do desejo, a fase da felicidade, a fase da tristeza e talvez agora seja a fase da aceitação.

Porque? Porque apenas te desejar pra mim nunca te fará feliz, completa. Eu sempre disse que você pra mim parecia uma pessoa triste e desmotivada, e se nós ficássemos juntos seria muito distante disso? Claro que seria. Você não seria feliz, pois provavelmente teria que deixar muita coisa pra trás. Você mesma se perguntou muitas vezes se teria que desistir da faculdade, se casar e se aquietar de vez, mas... Não! Isso não vai te fazer feliz. O que te faz feliz é o que você faz agora: perseguir o seu sonho! =)

Eu que tinha uma mente pequena que não percebi isso. E acabei causando isso tudo. Eu sinto muito.

Você é feliz agora! Que direito eu tenho de acabar com isso por um desejo mesquinho meu? Nenhum. Quando fecho os olhos e lembro daqueles tempos de dois, três anos atrás eu sempre sorrio. Aquilo era tão bom! E agora eu sei que, por mais que talvez até você queira reatar a amizade, quem não consegue sou eu. E eu quero e devo viver com isso e feliz, pois eu não quero novamente me apaixonar por você e sei que mesmo que você queira ficar comigo, vai acabar deixando pro lado todos seus sonhos e desenhos, e eu realmente não quero isso. Jamais!

Eu quero sua felicidade. E sua felicidade é o que você está trilhando agora. É um sacrifício, é jogar tudo pro alto, é abandonar um sonho? Pra mim, sim. Mas o que me incentiva é apenas uma coisa: não ser mais um empecilho pros seus sonhos e pro seu futuro. E sim de longe ser um expectador e torcer muito. Sentir meu coração bater forte quando ver cada coisa que você vai conseguir, e mesmo que eu não esteja lá do seu lado pra te abraçar, te dar os parabéns, te dar bronca ou te apoiar com palavras, verei todo o sucesso e toda a felicidade que você vai conseguir.

E nessa hora que eu ver você feliz e realizada, mesmo que longe dos meus braços, uma coisa vai saltar na minha mente: a certeza de que você é uma grande e inspiradora mulher. E que mesmo que eu nunca vou estar ao seu lado como seu companheiro, tenho certeza de que tudo o que passou foi lindo e inesquecível. E que você vai continuar com esse espaço imenso dentro do meu coração que você sempre teve.

E nessa hora em que eu ver você no campo do estádio, e eu estiver no lugar mais discreto da torcida e ver você levantando o troféu da sua felicidade com todas as pessoas importantes pra você do seu lado uma certeza eu vou ter: que esse amor todo é muito maior do que qualquer coisa na vida. E que o verdadeiro amor não é ter alguém pra beijar ou andar de mãos dadas pelas ruas. Um verdadeiro amor é esse que mesmo que seja de longe, continue apoiando e torcendo pra pessoa, vibrando com cada conquista e cada felicidade alcançada, afinal... Nada me faria mais feliz do que isso: Ver você feliz!

Parece que o fim da novela pra mim. Mas quer saber? Depois disso tudo eu nunca estive tão em paz comigo mesmo.

Obrigado, Dê.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog