sexta-feira, 10 de julho de 2015

Vamos cozinhar!

Pois é! Eu nunca diria que um dia eu entraria numa cozinha.


Quando eu era moleque eu tinha um quintal cheio de plantas, inclusive uma árvore de boldo enorme, aloe vera, hortelã, tudo crescendo no quintal. Hoje tá tudo asfaltado, daquela época só memórias. Naquela época eu gostava de fazer "comida" com aquelas coisas no quintal, fazia até uns negócios apresentáveis com terra, folhas, galhos e alguns brinquedos. E como eu era uma criança gorda, era o sonho da vida cozinhar.

Mas eu não tinha muito talento, e só ajudava minha mãe de vez em quando na cozinha. E como na família do meu pai todo mundo cozinhava muito, foi tudo deixado de lado na época da adolescência que meu pai não me deixava fazer nada que fosse "feminino" com medo achando que o filho iria gostar de homem se fizesse isso. Para a infelicidade dele, hoje em dia eu cozinho, inclusive carnes, e isso nunca me tirou o gosto por carne mijada também (if you know what I mean).

Eram muitas mulheres cozinheiras de mão cheia na minha família paterna. Mas como meu pai é muito machista, e elas eram mulheres, logo cozinhar na visão dele era coisa de mulher, e se eu cozinhasse, automaticamente isso me tornaria gay. É um pensamento estranho, mas tudo bem, adoro cozinhar e um recado para todas as meninas: não sou gay. ;)

Eu comecei a cozinhar vendo o Dia Dia da Band. As receitas são mais complicadas que Ana Maria Braga ou Edu Guedes, mas volta e meia via e arriscava. E comecei a ir pegando o gosto pela coisa. Não é que eu cozinhe pratos de restaurante todos os dias. Eu sou uma pessoa um bocado ocupada, e mesmo sem emprego é difícil arranjar um tempo com tanta coisa a fazer. Mas quando tenho um tempinho eu me arrisco na cozinha. Mas uma das coisas que mais gosto de comer é arroz branco com salsicha. E sou super contra "gourmetização" e uso de caldo knorr pra cozinhar. Sinto muito Rodrigo Hilbert, você não cozinha.


Eu gosto muito de culinária brasileira. Minha mãe sempre fez um feijão ruim, que ela só temperava com alho e sal. Eu detestava, e um dia perguntei como funciona a panela de pressão e fiz meu próprio feijão, que embora fosse uma panela cheia, durou uns dois dias só, todos devoraram (acima). Desde então, sempre que tem feijão, sou eu quem tempero. E o pessoal tá pegando as manhas do tempero.

Adoro especiarias. Se eu pudesse viver numa casa de condimentos, eu viveria. Virei um fã de tomilho. Ok, o pessoal em casa aqui ficou com trauma de tomilho pois na primeira vez eu fiz um risoto e como nunca tinha usado, coloquei demais e dominou o prato. Ficou horrível. Mas depois peguei a mão certa! Hoje não deixo faltar uma pitada.

Gosto bastante do clássico alecrim, que dá um cheiro excelente no prato, além do alho poró e sálvia, que conheci recentemente. O clássico Chimichurri argentino é outro que não pode faltar nas carnes, eu adoro o aroma, além da páprica, açafrão, e pimentas do reino e branca (a primeira pra carnes vermelhas e a segunda pra carnes brancas).

Eu gosto muito de fazer feijoada. Minha sorte é que o pessoal aqui de casa gosta bastante de comer feijoada também. Mas outros pratos da culinária brasileira como galinhada, moqueca, tutu de feijão com virado à paulista e outros são também coisas que eu gosto muito de cozinhar também.

Não gosto muito de doces pois são mais complicadinhos de fazer. E, bem, lojas de utensílios de cozinha agora me deixam maravilhado de tamanhas possibilidades em panelas, facas, fouet, etc... Mal vejo a hora de começar a trabalhar pra equipar a minha cozinha!

E como estou cozinhando, sei que preciso melhorar o paladar e tirar meus preconceitos com comida. Acredita que até peixes e frutos do mar (que eu detesto) tô tentando dar uma chance pra experimentar? Realmente milagres acontecem, e tô deixando de ser um pouquinho chato pra comer.

Eu sou um cara chato. Ás vezes eu queria não ficar me metendo nesses mundos diferentes e ser uma pessoa chata e entediante que não gosta de nada. Pra alguém que gosta de astronomia, teatro, dança, cinema, games, artes plásticas, pintura, poesia, prosa, fotografia, animação, design, criação, e mais uma caralhada de coisa, agora foi se meter na cozinha? Qual é a próxima?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog