quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O Hipnotizador


Existe um motivo por eu nunca assistir seriados: eu me vicio muito fácil. Também é o mesmo motivo por eu nunca ter usado drogas. Eu sei que viciaria fácil também.

Quando eu vi no ponto de ônibus o cartaz eu vi que esse seria muito difícil de eu ficar longe, pois pelo título já dá pra se ver que trata de um tema que sempre me deslumbrou: hipnose (e qualquer coisa relacionada ao sono).

Eu quando era criança eu morria de medo de dormir. Até hoje eu tenho medo de dormir, hehe. Sei lá, você se deitar, fechar os olhos e quando vai ver... PUM! Já é de dia. Isso sempre me deu muito medo, como se fosse um período de semi-morte, sei lá. Isso sem contar a bizarra realidade dos sonhos e pesadelos. Toda noite eu tenho vários, sejam bons ou ruins, aí fica difícil dormir, cacete. Porém, minha cabeça é muito ativa, e ironicamente eu durmo bastante, e sempre me sinto cansado pois ao mesmo tempo que meu corpo pede pra dormir, eu morro de medo do processo. Sim, isso é bizarro.

E quando eu vi O Hipnotizador, vi que esse seria o meu seriado, hahaha.

É um seriado latino, baseado nos quadrinhos homônimos de Pablo De Santis e Juan Sáenz Valiente. Produzido pela HBO (que eu gosto não por Game of Thrones, e sim pelo excelente seriado brasileiro Alice). Filmado no Uruguai, nossa extinta província da Cisplatina, e muito similar em um quesito com o antigo Donas de casa desesperadas, a versão latina do Desperate Housewives: é um seriado falado ao mesmo tempo em espanhol e português.

Mas isso não deixa ele estranho, jamais! Fica legal, pois cada um na sua língua parece que se entende e tal, não ficou nada forçado, nem prejudicou a atuação. O protagonista, Arenas (interpretado pelo argentino Leonardo Sbaraglia) é um hipnotizador distante e misterioso. Não deu ainda pra sacar tudo dele, exceto de que ele resolve fazer shows de hipnose em um teatro em troca de alguns mangos. Seu passado parece que é uma grande incógnita.

O elenco tem ótimas atuações do uruguaio César Troncoso (fluente nas duas línguas! Sensacional!), Chico Darín, Chico Diaz, mas duas atrizes me chamaram muito a atenção.

A atriz Bianca Comparato como Anita, uma personagem que tem tudo para ser protagonista. O papel dela é muito bacana no seriado pois ela é como uma protagonista, uma pessoa que tenta descobrir tudo o que tá rolando, sem ser uma protagonista de facto. Anita é uma menina ingênua, mas incrivelmente corajosa e pesquisadora. Foi a primeira pessoa hipnotizada (tenso esse primeiro capítulo!) e nos outros episódios parece que tenta descobrir as verdade por detrás da trama - inclusive quem é o tal misterioso hipnotizador.

E, uma que eu sempre gostei muito, Juliana Didone como... Sei lá diabos quem ela é. Nem teve um nome ainda revelado, hehe. Ela parece que é tipo um fantasma do protagonista, o hipnotizador Arenas. Talvez uma paixão perdida no passado? Mas todas as cenas que ela aparece são carregadas de mistério. Não acho a Didone uma mulher bonita, ela na minha opinião é bem feinha, mas é uma atriz de calibre muito, muito alto. E quando vi o nome dela nos créditos vi que valeria a pena parar e assistir.

Enfim, viciei. Tô fudido.

1 comentários:

Ale disse...

Realmente me senti muito bem O Hipnotizador abordar o enredo Eu acho Que um dos melhores, eu acho que tem muito un ensinar.

Postar um comentário

Arquivos do blog