quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Demolidor


Quando vi as primeiras propagandas do seriado no metrô de SP eu sabia que, pelo menos na questão da arte, seria um seriado nota dez. Netflix anda investindo bastante nos seriados baseados nos quadrinhos, e esse investimento só anda mostrando resultados excelentes. E Demolidor é um desses resultados!

Eu gostei da trama
Muita gente não gosta do Demolidor. É um super-herói que não tem poder nenhum, é cego, não voa, não tem super força, e muita gente compara com o Batman, da rival DC. Mas, assim como o Batman, o Demolidor ganha no quesito vilões. Afinal, o Batman pode até ser legalzinho, mas legal mesmo é o Coringa, Hera Venenosa, Mulher-gato, etc. Mesma coisa o Demolidor. Ele é até bacana, mas legal mesmo é o Rei do Crime, a Elektra e o Vingador.


Assim como o Batman explora muito a investigação, Demolidor explora a conspiração. E ficou muito bacana ver toda a trama se desenvolvendo com as reviravoltas contra o Wilson Fisk (o Rei do Crime) e o domínio dele sobre Hell's Kitchen. Mesmo sem poder nenhum, Demolidor se salva pela sua trama complexa e as conspirações que acontecem. Muito bom!

Eu gostei do som
Acho que essa pouca gente percebeu. O Matt Murdock, o alter-ego do Demolidor é cego. E ele se guia muito pelos sons do ambiente. Ele consegue até mesmo ouvir os batimentos cardíacos das pessoas (imagina só se ele ouve os peidos também). Mas o som foi muito bem tratado. A ponto de que eu acredito que até mesmo pessoas de facto cegas consigam assistir e se divertir e entender o que está acontecendo tanto quanto nós, que vemos.


Tente fechar os olhos vendo algum episódio. Teve um tratamento de som muito superior ao que vemos em outros seriados. Se você tiver um Home Theater então, melhor ainda. Achei uma sacada muito boa por parte do pessoal, isso ajuda a entender melhor como é a vida e as dificuldades de deficientes visuais.

Eu não gostei da confusão de máfias
Existem muitos vilões? Existem! Existem diversos clãs de mafiosos, de acordo com etnia. Máfia japonesa (yakuza!), máfia chinesa (Hong Kong Fu!), máfia reversal russa, máfia do Rei do Crime, enfim... É tanto vilão que a gente fica meio confuso. Sem contar que muitos ali são apenas pra tapar buraco, tipo a máfia russa, que some depois dos primeiros episódios, depois do massacre que o Fisk faz.


Quantidade não é qualidade! Muitos vilões, pouca profundidade, exceto o Fisk mesmo. É legalzinho ver a competição, cada um tentando derrubar o outro e tal, é divertido. Mas desde o começo a gente não precisa ser um gênio pra deduzir que só o Fisk mesmo vai ficar em pé no final.

Eu não gostei do realismo
Como eu disse, o Demolidor não tem poder algum. E no seriado, toda vez que ele se fode é a Claire Temple, uma enfermeira e affair do Matt Murdock que vai lá costurar os pedaços dele, que sempre aparece meio morto. E como ela mesmo brinca com ele, parece que ele tem um talento ótimo pra levar surra. E ele leva muita surra. Pessoal parece que não tem dó dele ser cego, eles descem o couro mesmo. Tem episódio que ele fica tão fubecado que não acontece nada. Parece jogador de futebol que é poupado de jogar!



Muita gente gosta da Marvel por causa do realismo e tal. E no final tudo termina bem, mas tem hora que um pouco de fantasia é bom também, e ele poderia se curar mais rápido. Por isso faltaram cenas de pancadaria. E o Charlie Cox (o ator que fez o Matt Murdock) e seus dublês fizeram cenas de batalha EXCELENTES. Fico imaginando o quanto deve ter sido ensaiado, especialmente os jogos de câmera, luzes e os SALTOS INSANOS! Eu nunca vi pancadaria assim, nem em filme chinês. Por isso seria bom se ele fosse mais fantasioso e ele não ficasse tanto tempo parado, todo fudido depois de uma briga. Queremos ver sangue!

Eu gostei da dublagem
Não sou do time que só gosta de coisa legendada ou do time que só gosta de coisa dublada. Eu gosto muito de praticar meu inglês vendo filmes legendados mas gosto também de prestigiar os dubladores brasileiros que estão entre os melhores do mundo, na minha opinião. E Demolidor eu vi dublado. E achei excelente. Tem o Philippe Maia como Demolidor, Flavia Saddy como Karen Page, Felipe Drummond como Foggy Nelson (se destacou!) e Mauro Ramos arrebentando como Wilson Fisk.


A adaptação ficou muito boa também. Por exemplo, tem muitos palavrões. Ouvir a voz da Flavia Saddy dizendo que "vai fuder com a vida do Fisk" mostra como ficou bacana a adaptação! Interpretação ótima! Ainda bem que não cagaram colocando a Taís Feijó, que cagou a voz da Caitlin Snow do The Flash.

Ah, e se quiser se divertir (ou praticar nihongô), coloque o audio em japonês! Tem dublagem em japonês, holy fuck! Obrigado por me fazer rir, Netflix!

Eu gostei da enfermeira
Claire Temple. Acho que quando assistimos um seriado e gostamos de um personagem, ficamos torcendo pra ver várias e várias vezes. Tecnicamente a Claire Temple seria uma personagem boring. Nos quadrinhos ela é boring, é a enfermeira que começou lá atrás, como coadjuvante nos quadrinhos do Luke Cage, e aí participa dos outros também. E embora a atriz Rosario Dawson seja coadjuvante da coadjuvante, atuou muito bem a ponto de merecer até mesmo um próprio seriado!


Ela é uma atriz tão boa atuando, mas só estreou em filmes merda, tipo "Percy Jackson" e "O balconista 2". Diálogos bem legais, toque de sarcasmo, e essa vontade de ajudar e ao mesmo tempo fugir, além de brincar com diversos aspectos do Matt Murdock. O seriado teve atores excelentes, mas ver a dedicação da Rosario Dawson como Claire Temple me fez em todo episódio me perguntar: será que a enfermeira vai me socorrer aparecer?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog