quarta-feira, 11 de maio de 2016

Esse mundo que se chama Coréia do Norte.

Muitas vezes eu abria o Google Earth e ficava "passeando" via satélite naquele local que não havia nome de nenhuma rua, mal tinha nome de cidade, e que sempre parecia meio cinzento: a DPRK, também conhecido como Coréia do Norte, o país mais fechado do mundo.

Engraçado que haviam várias fontes de pessoas que passaram por lá. Uma das primeiras que eu li foi de um blog, chamado Gabriel quer viajar, que eu iria até colocar o link aqui, mas o google tá dizendo que o site é alvo de malware. E claro que eu não quero infectar ninguém aqui. Mas era um texto bom, e feito por um brasileiro maluco que foi lá como turista!

Mas existem várias fontes de pessoas que foram por lá. Só dar uma googlada algo como "viajar coréia do norte", mesmo em português. Acho que vale a pena ler, é difícil traduzir isso em um post. Parece um lugar que é difícil de imaginar que exista! Não apenas a falta de livre-expressão, mas o quanto as pessoas lá acabam vivendo com medo, paranóia, e tudo mais.



Entre eles o que mais me impactou foi o discurso da jovem Yeonmi Park (acima).

Como se as denúncias que ela faz contra o governo da dinastia Kim, que governa com sangue a Coréia do Norte há décadas, toda a fuga dela do país, de ir parar na China com medo de ser deportada, na mão de traficantes de pessoas, quase perdeu a irmã, e a mãe ter se oferecido pra ser estuprada no lugar dela pelos traficantes, e até mesmo ela ter sido obrigada a enterrar seu próprio pai que não resistiu a fuga e faleceu. Cara, isso é muito, muito tenso.

É difícil de imaginar que exista um lugar assim, na verdade. Tem um canal de um cara que foi pra lá como turista. É de ficar abismado como são as ruas, e as pessoas olhando com aquela cara de desespero ás vezes por morarem lá, convivendo com pobreza e fome.

Mas é um local muito interessante pra se fazer uma pesquisa e ler sobre. Citei pouquíssimas coisas aqui, mas já vi bastante sobre pela internet afora. É de cair o queixo.

E a Yeonmi? Bom, lançou um livro (que eu quero muito e comprarei em breve!) e hoje vive na Coréia do Sul, mesmo com o constante medo de ser raptada de volta pra Coréia do Norte. Sim, como se não bastasse a barbárie que ela sofreu, ela ainda vive com medo de sequestrarem ela de volta pra terra do Kim Jong-un.



Espero que o governo coreano continue protegendo ela como exilada. Esse vídeo acima mostra como está a vida dela hoje, e mostra um pouco sobre a sua mãe e irmã. É tão comovente quanto o anterior.

Yeonmi, você é um exemplo de força pro mundo inteiro!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog