sexta-feira, 20 de maio de 2016

Rurouni Kenshin

Achei no Netflix todos os live-actions de Rurouni Kenshin (conhecido aqui como Samurai X) e também o anime inteiro, com o áudio original em japonês. Pelo menos o anime, estou já faz um tempinho revendo tudo. E é curioso ver as diferenças da adaptação do anime brasileiro, além das vozes, que não têm nada a ver.

É difícil acostumar com a voz original em japonês do Kenshin no começo, mas depois a gente percebe que o vozeirão do Tatá Guarnieri que era estranho.

Esse é um dos meus episódios favoritos, do também meu personagem favorito, o Soujiro Seta:



Rurouni Kenshin talvez tenha sido um dos animes que mais me ajudaram a formar caráter. Afinal, basicamente é um cara bem forte e bonzinho que defende os mais fracos. Isso sempre foi muito de encontro com o que eu sempre acreditei, mesmo que muitas coisas que acontecessem comigo fossem uma grande atração pra agir exatamente do modo contrário.

Uma pena que a última saga, a da Enishi Yukishiro, não foi feita no anime. Eu gosto muito da saga do Shishio, mas a do Enishi conseguiu ser mil vezes melhor. Ouvi falar que fizeram uns OVAs aí, mas não cheguei assistir, porque a saga é meio grande pra passar apenas em uns poucos OVAs.

Existem diferenças pequenas e sutis no anime e o no mangá. Por exemplo, a Kaoru vai junto do Kenshin e todo mundo salvar a Megumi das mãos do Kanryuu no começo, mas essa diferença não altera muito o fluir da história.

Já na saga de Quioto tem muita coisa diferente. Mas as que mais me chamaram a atenção foi a falta do restaurante da irmã da Tae, o Shirobeko em Quioto. Simplesmente não existe. A Kaoru chega com o Yahiko e trombam com a Misao falando algo sobre o Kenshin e aí as duas sabem do paradeiro do ruivinho. Outra que me chamou a atenção é que no mangá o treinamento do Kenshin com o mestre Seijurou Hiko tem muitas piadas. Mas 90% delas saíram da versão final do anime, deixou a coisa bem mais séria.

E isso sem contar erros na dublagem brasileira. Na luta do Soujiro (acima) eles ficam falando que o Kenshin tá velho, que tem que dar espaço pros mais novos, e ninguém fala absolutamente nada disso durante a luta, nem no mangá, menos ainda no anime. Vai entender esses caras que faziam adaptação, viu!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog