terça-feira, 16 de maio de 2017

Lemony Snicket's: Desventuras em série (2017)


Em janeiro o Netflix me indicou essa série e claro que eu tive muita vontade de assistir! Tudo bem que quando o filme estreou em 2004 eu já tava meio crescidinho, mas achei muito legal, pois é um filme infantil e extremamente sombrio, duas combinações difíceis de darem certo, mas que fazem todo o sentido nessa série.

A série é centrada nos irmãos Baudelaire (Violet, Klaus e Sunny), cujo os pais morrem subitamente e eles herdam uma fortuna, mas como são crianças não podem ainda usar esse dinheiro. Logo o dinheiro será administrado por um tutor para no futuro ser entregue a eles, porém o tutor é o malvado Conde Olaf, que quer por cima de tudo esse dinheiro pra ele, causando altas confusões na sessão da tarde.

Eu gostei do Conde Olaf
Ninguém tem dúvida do imenso talento do Neil Patrick Harris como ator. E claro que seria muito difícil fazer um Conde Olaf mais caricato do que o lendário Jim Carrey fez há mais de uma década. Mas ele conseguiu (em parte eu não estou muito surpreso, porque o Neil é o cara!). Acho incrível a capacidade de atuação que o Neil Patrick Harris tem, é realmente fora desse mundo.


Não apenas encarnou no personagem como ninguém como encarnou os diversos disfarces que o Conde Olaf fez. É como Inception, tipo "atuação dentro da atuação", ficou sensacional! Isso sem contar que ele atua com um ar mais psicótico que o Jim Carrey fazia, não tem como não sentir um ódiozinho pelo Conde Olaf do Neil, hahaha. O do Jim Carrey, sei lá, era malvado também, mas tinha um ar cômico, regado de humor negro. O do Neil é realmente maquiavélico, menos atrapalhado, enfim, é o Conde Olaf mais perfeito que a perfeição do Carrey.

Eu gostei do tom melancólico
Esse é um dos detalhes que conseguiram explorar bem. Acho que é muito pela boa atuação das crianças, a Malina Weissman como Violet, Louis Hynes como Klaus e até a bebê Presley Smith como a Sunny. Por ser uma série é possível desenvolver mais a personalidade dos personagens do que no filme. E claro que é um seriado infantil, então é necessário manter o nível de crueldade pra não ultrapassar, mas ainda assim toda a atmosfera das atuações das crianças, dos cenários sempre sombrios e em tons pálidos, a trilha sonora, tudo colabora.


É difícil resumir tantas histórias em um filme, claro. Mas o seriado consegue como ninguém criar essa atmosfera toda. E o mais legal é que no meio de toda a melancolia do seriado existe acontecimentos bonitinhos que meio que renovam a esperança na humanidade. Espero sinceramente que corram logo com as próximas temporadas antes que as crianças cresçam.

Eu gostei da fotografia
Duas coisas que eu adoro em filmes: trilha sonora e fotografia. São duas coisas que podem arruinar o melhor dos filmes, ou transformar o pior dos filmes no melhor deles, na minha opinião. E esse seriado talvez de início seja meio estranho se acostumar com a isometria das cenas, pois são todas bem quadradinhas, moduladas, com os cenários fazendo linhas perfeitas sobre os atores, enfim.


É difícil achar uma imagem que ilustre, acho que isso é mais assistindo mesmo. Lembra muito O Iluminado (1980) do Kubrick. É de aplaudir de pé, muito bem bolado e planejado. As cenas parecem cenários de obras de arte, muito bem produzido tudo em geral.

Não gostei dos efeitos especiais
Tem alguns efeitinhos que são meio tosquinhos. Acho que muita gente talvez nem perceba, mas entendo que são cenas extremamente difíceis de se fazer, já que querendo ou não é uma série sobre fantasia. Por exemplo, não sei se no livro original a bebezinha Sunny tem participações mais fantasiosas, como uma força incrível nas mandíbulas que ela tem:


Não vou dar uma de chatão, coitado do cara que fez esse CG. Mas sei lá, poderia ter feito mais caprichado, com mais movimento, não sendo tão "endurecida" mais natural. Mas por outro lado os efeitos tem um quê de fantasia, como disse acima, então é legal ser mais tosquinho.

Eu gostei do Lemony Snicket
Parece que no original o Lemony Snicket, o autor da história, que na verdade se chama Daniel Handler, apesar de ser o narrador, é uma presença importante no desenrolar da estória. E nesse filme o Lemony tem uma participação muito mais ativa que o Jude Law no filme.


O ator Patrick Warburton talvez por ter essa cara de poucos amigos dá uma atmosfera toda sombria e séria ao Lemony, aparecendo com seus comentários ácidos entre os atos diversas vezes no episódio. Sempre com um visual sóbrio, cara de poucos amigos e falas memoráveis sobre o que acontece na história, Warburton fez um trabalho e tanto dando vida ao Lemony Snicket!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog