quarta-feira, 9 de maio de 2007

Que frio delicioso! ^_^

Frio me deixa de bom humor! Sim, pq esse é o clima da minha terra, a adorada Bretanha. Clima bom pra um cházinho (não me venha com café, por favor... ¬¬), bolachas, andar de terno, fazer reverência à Sua Majestade a Rainha, falar inglês e ainda ser cavalheiro e mostrar etiqueta ao povinha brasuca! \o/

Sim, frio me deixa super bem humorado. É tão bom o vento gelado bater na nossa cara e nos deixar de nariz gelado! Odeio calor. Sol, calor, suor nunca combinaram comigo. =P E nem adianta vir com essa não. ¬¬ Por mim eu viveria trancado na geladeira durante o ano inteiro. Frio é mil vezes melhor... Não tem que aguentar odores de suor dos outros, tampouco ficar em pânico em locais com muitas pessoas e muito calor (acredite, na Anime Dreams do ano passado quase entrei em pane, pq era um calor infernal e um monte de pessoas. Acho que tenho um pouco de síndrome do pânico...), e posso andar sem me cansar, posso até correr sem me preocupar com suor, e enfim. Isso é vida amigos, o frio é a melhor coisa. =)

Só pra vc ver, deve estar um baita frio aqui no meu quarto e estou de janela aberta, vestindo apenas um shorts e uma camiseta e com os dedos da mão bem frios, e tremendo um pouquinho quando passa um vento gelado. Mas reclamar? Nem fudendo. Prefiro ficar pelado com 10º C lá fora do que encarar calor ¬¬' Uma coisa ruim não justifica uma pior, esse é o meu lema! =P

Terminei de ler Eragon e estou empolgado para ler o segundo, Eldest! Adorei a Saphira, embora o livro peque em algumas coisas. Acho que o livro, ao menos na grande maioria dos diálogos entre Eragon e Saphira (Saphira é o Dragão-femea do Eragon) e entre Eragon e Murtagh (Murtagh pode parecer nome de dragão, mas é o amigo humano que salva o Eragon vinte milhões de vezes) os diálogos são muito na base do "o que eu devo fazer?"... Isso é um saco, e tornou-se MUITO repetitivo no livro. ¬¬' Outra coisa que não gostei é ter que ir toda santa hora pra ir ver os significados das palavras pra invocar magia do Eragon no final do livro. Tem parte que ele já fala coisas tipo brisingr ou a alcunha dele, argetlam e toda hora eu tinha que ir pra saber que a primeira significava "fogo" e a segunda "mão de prata"... A tradução poderia vir no rodapé, e isso teria salvo a última página do livro de quase escapar de tanto ir e voltar.

Mas em suma, é um bom livro. Ele narra muito bem a história e eu indico. Aí alguém chega e fala: "HA! Logo você ô intelectual FDP lendo uma merda dessas?". E afirmo ainda: "Já li piores!"... E não tenho vergonha de dizer que li o Código Da Vinci, Atlantis, Olga, As brumas de avalon, que são ficções que eu li no período de dois ou três anos pra cá que me marcaram muito e acho que, por mais que você assista o Discovery Channel, uma hora vc vai querer ver o Pânico na TV.

Eu acho que os seres humanos precisam de uma dose elevada de cultura, principalmente os brasileiros. A dose de besteira já está acima da média,e não digo que "eliminam as merdas da TV, livros, rádios e afins". É bom pra comparação e bom pra distração. Aprender é bom, mas é da distração que seu cérebro faz o intervalo pra aprender ainda mais, e não me sinto nem um pouco culpado em ler Eragon ou ver Pânico na TV, embora adore Rousseau e Wittgenstein e sempre tento assistir ao History Channel. Acredito que uma dose de besteira é fundamental, mas não exagere. Não fique pensando que vai ouvir Helena de My Chemical Romance e ficar intelectual enquanto tem gente que entende Another brick on the wall do Pink Floyd e tem muito mais conteúdo.

Esse romantismo essessivo de hoje em dia que eu odeio. Eu odeio a modinha emo não é pq os rockeiros que se dizem machos estão tendo que encarar o crescimento do rock dos "não-tão-machos" e tendo que pra afirmar sua heterossexualidade ir detonando eles e nem tampouco a completa falta de estilo deles, usando franjas do Visual kei ou ainda Adidas, marca dos praticantes do New Metal. O que eu não gosto é da completa romantização de suas letras que parecem fazer lavagem cerebral nas pessoas e que apenas tenta mostrar que a vida é nascer, crescer, namorar, chorar e se suicidar. PQP... Parem com essa porra de hipocrisia. Acabem com Charlie Brown e suas idiotisses de "Ela não é o tipo de mulher que lá-lá-lá" e ensinem letras com conteúdo, porra! Chega de amor, que droga de bosta é essa? ¬¬'

Já temos um povo BURRO. Se bandas comerciais como essas continuarem em sua decolagem apenas fazendo marketing nessas maldições de amor, mulheres, romances e coisas afins vão fazer pra outro, pq eu tou fora dessa. Sou mais ouvir o "Wind of change" dos Scorpions e ter uma puta aula de história com rock do que ver idiotas cantando "Vivendo apenas pra vencer a falta que me faz você" e pessoas ouvindo isso e se achando inteligentes e rockeiras.

O rock está morrendo, e não são emos. ¬¬ Já morreu alias. Tanta coisa boa por aí tipo System of a Down com uma puta crítica até a guerra e as cabeças pensantes e o pessoal só quer saber de cantar coisas medíocres. Quanto tempo a B.Y.O.B. ficou nas paradas? Duvido que algumas semanas. Se sentirem mal por eles cantarem "Where the fuck are you?" com certeza ninguém ficou, mas talvez por ter um conteúdo tenha caído, o que deveria ser o oposto.

É meus caros, sinto muito, mas disso eu tenho um baita preconceito. Mas como eu disse, algo dosado é saudável. Ainda gosto de ouvir Roberto Carlos e Zezé di Camargo e Luciano. Mas sei que o que me adicionará algo na vida pra eu ser alguém e não um Don Juan pegador-de-mulheres será exatamente a diferença entre ouvir demais "Sei tudo que o amor é capaz de me dar, eu sei já sofri mas não deixo de amar" e entre ouvir demais letras de conteúdo como "I am a world before I am a man, I was a creature before I could stand, I will remember before I forget, BEFORE I FORGET THAT!"

E desculpe se passei dos limites hoje. =P Mas como eu disse, besteira é essencial, mas não exagerem. =P Essa é a minha teoria, hehee...

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog