sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Zhong hua!

Uau. Achei ontem finalmente um filme que estive procurando arduamente! Na verdade foi mais curiosidade por começar a ouvir a Kelly Chen, e fiquei meio pasmo ao saber que ela é atriz e das boas. Consegui achar fóruns com C-Music e inclusive um site com muitos filmes para baixar que não são Torrents. ;D

E lá baixei o An empress and the Warriors, que ao menos que já dei uma espiada, tem uma excelente fotografia. Agora quero baixar algumas canções do primo distante da Angela - Jay Chou, e alguns filmes underground chineses e... Novelas. o_o Sabiam que Taiwan é um dos países que mais produzem teledramaturgia na Ásia? Nem eu. E as atrizes são lindas.. Que ódio. u_u

Não sei se vou ver a estória ou se ficarei babando por elas.
Agora vou baixar Faye Wong... Outra que eu me apaixonei, hihi...

Bom, nessa hora estou aqui vendo no jornal (aliás, telejornal é a única coisa que eu assisto na TV, pois eu prefiro focar nas notícias internacionais via web) e estão falando de um garoto de doze anos pego pela oitava vez roubando carros, hihihi! Ontem estive conversando com uma amiga que está fazendo pedagogia. E ela disse que crianças são os bichos mais sensíveis que podem existir pra traumas e coisas inconscientes que acabam repercutindo por toda uma vida.

Como sempre é de praxe, eu não me considero bom-exemplo de nada, hehe... Nesses dias eu tava me lembrando como foi o meu primeiro beijo, que pra começar foi bem atrasado (foi com quase dezesseis anos!) e eu depois do beijo fiquei pensando: "Ah, é isso? Só ficar brincando com a língua e tal... Pensei que iria ficar vendo estrelas ou coisas do tipo... Que saco.", isso é a influência da mídia sobre uma mente perturbada como a minha, hahah!

Igual ao que todos dizem: nem sempre a primeira vez é boa. Depois a gente vai pegando experiência e vai sentindo o tal do prazer, hehe. E hoje, claro, nem preciso dizer que minha perspectiva sobre isso é bem diferente.

Mas claro, tenho lá meus motivos pra ter demorado tanto nessas coisas e na sexualidade. São um conjunto de traumas, muitos dos quais sequer eu nem sabia que tinha, e muitos e muitos complexos que eu pego desde criança pela rígida criação que recebi de meus pais. Claro, não vou negar, a rigidez foi importante pra eu criar valores, ética e acima de tudo honra, mas tem hora que isso é uma espécie de bloqueio. A virgindade então, nossa... Foi ainda depois do beijo e ainda foi demorado em comparação a idade em que todos a perdem, hehe...

Minha estranha noção de sempre querer ser o melhor e não gostar que ninguém seja melhor que eu era uma outra coisa que me perturbava bastante, hehe.. Afinal é muito difícil - senão impossível ser bom em tudo. Ser bomem todas as matérias, popular, bonito, paquerador, trabalhador, bom dono de casa e... Nossa. Vejo que até hoje eu tenho estranhas obcessões por ser o Mister Perfeito em tudo e isso atrasa minha vida, haha... Essa acredito ser mais uma má influência de meus pais pra me tornarem o próximo Poderoso Chefão.

Afinal o viver em sociedade põe a crença que um médico, que sabe muito sobre medicina e um jornalista que sabe muito sobre a arte da escrita saibam dar o seu melhor para a comunidade e todos crescerem juntos, pois onde um médico não sabe escrever pode pedir pra um jornalista, e vice-versa. Demorei desde a infância pra entender que ser bom em matemática, escrever bem e entender química e física não é tão vantajoso do que se eu focasse em apenas um deles.

Que foi? Eu adoro matemática...
(Foto - Kelly Chen no filme Empress and the Warriors)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog