quinta-feira, 2 de julho de 2009

Fim do Ragnarök Online no Brasil - Parte 3

Recapitulando: Dizia eu que a aritmética... Hahaha... Brincadeira! (infame essa, huh?) Nos últimos posts desse tema cheguei na etapa que o Openkore já existia - isso é, já existia uma maneira de burlar os programas de proteção e lançar um BOT no universo do Ragnarok. Porém eles ainda não haviam se popularizado, os que usavam era estritamente em benefício próprio ou para seus clãs.

O problema surgiu quando pessoas descobriram que seria possível fazer dinheiro, mas dinheiro real (R$) mesmo com eles. Com a chegada dos ROPs uma das maiores críticas que vieram foi a de trazer diferenças sociais para o jogo. Isso se dá pois, se eu sou um filhinho-de-papai, ou trabalho com prostituição ou algo do gênero, sou capaz de comprar ROPs e turbinar meu personagem com os equipamentos vendidos apenas por essa bizarra moedinha. O mercado de Ragnarok começava a fluir: muitos sites, e muitas pessoas habilidosas, e que também disponham de tempo e dinheiro decidiram fazer contas e vendê-las com personagens fortes. Lembrando que, nisso não vejo nada de errado, apenas foi um estímulo inicial pra tirar o dinheiro real e jogar no jogo.

Acredito que pessoas pensaram: "Poxa, se posso comprar ROPs, que é uma moedinha da própria empresa que representa o Ragnarok no Brasil, porque não comprar zenys, que é a moeda principal do jogo, que eles não vendem?"

Pessoas querendo tirar proveito disso ligaram seus BOTs para irem atrás de itens, em geral cartas, que são os itens mais raros do game e são realmente muito úteis pois trazem atributos extras, entre outras coisas, e tem o preço elevado. A solução é: ligar os bots pra irem sozinhos atrás dessas cartas ou outros itens, afinal é difícil de consegui-los e requer tempo e dedicação, e isso é o que o BOT pode fazer por eles. Vendendo cartas eles ganham zenys, que eu posso vender cada milhão por reais e assim faturar uma grana boa. "Posso colocar cinco BOTs ao mesmo tempo, terei os lucros multiplicados por cinco!"

Veio então uma verdadeira horda de BOTs, que são em geral rouges (traduzido aqui como Arruaceiros) que ficam sozinho em mapas matando bichos sem parar, conseguindo toneladas de itens, e por sua vez trazendo lucro pro seu dono. Conheço pessoas que conseguem pagar a faculdade com o que ganham no Ragnarök com essa patifaria, pra vocês terem uma idéia onde o nível chegou.

Perguntem: Mas e os Game Masters, os moderadores do game?
Estão ocupados com o lançamento de Perfect World, indo em outros jogos, pois até o Ragnarok foi infelizmente abandonado até por eles, pelo seu péssimo serviço dedicado. ='(

Pra concluir: Hoje o Ragnarok no Brasil está declinando mesmo. Muitos usam BOTs, mesmo sendo ilegal, lucram dinheiro em cima e fizeram com que muitos jogadores revoltados desistissem do jogo. Entre eles, eu. Embora minha conta ainda exista e eu pago para mantê-la, afinal foram quatro anos (completados em janeiro de 2009!) jogando um jogo que eu amo, porém que infelizmente está acabando.

Eu, assim como muitos ainda temos esperança que as coisas vão normalizar e poderemos voltar ao nosso jogo, talvez por isso não desfaço da minha conta e a do meu irmão. Fiquem com um vídeo feito pelo Pepperoni, um dos jogadores mais importantes do Ragnarok no Brasil e um dos melhores High-priest/Priest reconhecidos mundialmente em um vídeo produzido por ele exatamente para mostrar a qual nível chegamos:

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog