sábado, 12 de setembro de 2009

Mande prender, e não educar.

Estava hoje de manhã passando os canais e na cultura passou uma propaganda sobre um abaixo-assinado online contra a homofobia, que caso venha a tornar-se real, transforma a homofobia em crime sob as penas da lei. Até o momento, mais de sessenta mil pessoas já deram seus nomes apoiando. Fiquei pensando, e até agora não vi motivos para apoiar isso. Tanto que não dei meu nome nessa campanha ainda.

Primeiramente não tenho absolutamente nada contra homossexuais e afins. Muito pelo contrário! Apoio completamente, conheço vários e além de serem ótimas pessoas não acredito que preconceito nenhum sobre a opção afetiva de alguém deva ser considerada uma vez que cada um é cada um, e o respeito deve vir da mesma forma.

O que não apoio é classificar como crime. Uma palavra pesada e dura até demais. E vou dizer o porquê:

Há pouco tempo lembram da lei seca? No começo todos apoiavam, dizia ser uma coisa importante, e todo aquele blábláblá. Verdade seja dita: independente de quaisquer motivos beber e dirigir é errado, assim como preconceito contra gays é errado. Porém, mesmo todos sabendo que beber e dirigir é errado, pessoas fazem isso e... Morrem. Morrem aos montes, em especial a molecada que vai pra balada e come a bundinha das meninas sem camisinha (o que também é errado, afinal depois que playboyzinho pegar uma AIDS vai ver que dinheiro nenhum do papai paga o que uma camisinha por poucos reais teria protegido...).

Digo, onde está a educação do povo, a quebra de conceitos e preconceito. Pessoal fala um monte sobre racismo, mas o negro sempre na novela é empregado. Agora que a Taís Araújo vai ser uma protagonista - isso se a Aline Moraes (aka Bocão de Chupa-Halls, como diz minha mãe xD) não roubar esse cargo dela. Falam que não pode ter discriminação contra gays, mas o beijo gay da novela América foi censurado. Até a cena afetiva das lésbicas da Senhora do Destino nunca mostrava, agora o Rodrigo Lombardi enrabando a Juliana Paes, todos já cansaram de ver. Assim como a Juliana Paes também, todos cansamos de vermos ela com pouca ou nenhuma roupa.

Será que é pedir muito pra se educar o povo? Acho que também homossexuais tão muito apressados, mulheres ficaram o século XX inteiro pra irem de "seres apenas para procriação" para frequentarem as faculdades hoje. Centenas morreram, milhares foram descriminadas e milhões hoje colhem os frutos comprando seus cremes rinses e modess.

Não dá pra mudar um pensamento de milênios em apenas anos, e lei - isso é, não deixa de ser uma forma de repressão, afinal é isso que as leis nos asseguram, de sermos seres robóticos que adamos apenas na linha que a sociedade diz e nada mais. Resumindo: violência não muda o mundo. Se violência fosse algo construtivo, o BOPE já teria derrotado o tráfico de drogas nas favelas há décadas.

Se uma lei dessa é aprovada somente vai ser algo pra se tentar garantir algo, pois se a sociedade não entender que você negar o emprego pra um gay é algo errado não vai existir nunca uma lei que vai ajudar, entende?

Tomem como exemplão o Nelson Mandela. O cara durante o exílio notou que, se quisesse acabar com o apartheid não deveria seguir os outros que usaram a violência contra os brancos, mas sim usar realmente o discurso, mostrar pontos de vista, discutir pra depois de muitas décadas de vitória eleger um estuprador maluco como atual presidente da Africa da Sul. Mas isso são outros quinhentos. =P

A gente poderia ter um Harvey Milk brasuca. ;D E tenho dito!

Portanto vamos começar desde a escolinha. Vamos mostrar que aquele menino que gosta de brincar de boneca, ou a menina que gosta de jogar futebol não estão errados. Quebrar os estereótipos, incentivar a questão do "aceitar" desde criança - afinal aqui em casa sempre foi assim, nem por isso virei gay ou nada do gênero. Respeito não tem gênero, nem crença, nem cor de pele nem nada. Respeito é coisa de princípios, não de leis.

Meu medo é que isso reprima até piadinhas e coisas do tipo. Já falei antes que se começarem a aprovar essas merdas de leis desse gênero o mundo vai ficar algo muito entediante - afinal todos tiram sarro de todos e de tudo. E isso faz parte. Isso é bacana, rir do outro, rir de mim, rir de todos. Parte do espírito esportivo, não de preconceito.

Ser preso até porque fez uma piada, imaginem só. Opa, desculpa, já vi isso acontecer. ¬¬
Êêêêêêê brasil de merda nessa parte... Vivo falando todo dia que a ditadura não acabou e ninguém me ouve.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog