sexta-feira, 9 de abril de 2010

Verdades saídas do caos.

Existe um porquê do budismo ser tão odiado pelo governo Zhong-huaense (de zhonghua, "China" em Mandarin) e no lugar preferirem a filosofia do amigo Confúcio (Kong-fu Zhi!). Assim como na Índia preferirem o hinduísmo do que nosso amigo Siddartha Gautama e talvez apenas o Tibet mesmo - o único "país" teocrático do mundo.

Budismo e a Cristandade em geral tem muitos aspectos parecidíssimos. Ambos foram redigidos depois dos seus idealizadores morrerem. Nem Mateus, Marcos, Lucas e João escreverem uma sílaba antes do messias ir dessa pra uma melhor. Budismo idem. Provável que Shakyamuni nem quisesse tanta pomposidade na sua crença. Vou parar nesse ponto pra voltar nisso mais pra frente no texto.

Qual será o motivo de muito desse receio ao budismo? O próprio Japão, onde a religião nacional é o Xintô, na era Meiji houve uma intensa matança de monges budistas. Na verdade o budismo é uma religião que estimula muito o pensamento e a reflexão. Não tanto o questionamento, mas o fato de você se dedicar à meditação e ao ascetismo você mesmo começa a ver a vida por uma outra perspectiva.

Li vários textos já que afirma que Buda não era budista. Vejo Shakyamuni não como o primeiro Buda, provável que existira pessoas antes dele afinal ele mesmo vira um monge pobre e feliz antes de partir em sua busca pela iluminação, mas o primeiro a trazer a coisa e espalhar com toda sua lenda. Existiram budas antes do próprio buda. A iluminação e o entendimento das coisas acredito que é algo que está inserido dentro da gente.

Pratico a meditação pra refletir sobre as coisas ao meu redor, e percebo muitas vezes que é na meditação que a visão do mundo fica clara e que é exatamente na nossa cabeça que juntamos todos os pedacinhos do caos que vivemos e damos forma ao quebra-cabeças. O ser humano sempre teve todas suas respostas.

Nada é impossível. Absolutamente nada.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog