domingo, 23 de maio de 2010

O que as mais velhas têm?

Tive uma professora de história da arte na UNIb excelente. Não vou citar nomes, óbvio, mas vou ser sincero que naquele minúsculo tempo de convivência (um ano letivo inteiro) foi o bastante pra eu ficar totalmente encantado por aquela mulher, e perceber que eu não tenho paciência nenhuma pra infantilidades de menininhas de vinte anos - que meu negócio era mesmo mulheres mais experientes.

Ainda hoje eu vejo algumas fotos no perfil dela do Orkut e penso "Ela é mesmo o máximo!". Com todo o respeito. Admiro muito essas mulheres independentes e inteligentes que se viram bem apenas com um belo Golden Retriever. Viajam pra todos os cantos, seria perfeita se não fosse o seu ódio pela Itália e sua paixão pra França. Que fique claro que minha rixa com o país dos francos veio bem antes de eu sequer conhecê-la, haha!

Ela não era exatamente bonita, mas inspirava beleza. E aí que a velha tinha sua cartada: a verdadeira beleza é algo tão grandioso que é impossível destruí-la. Tinha um charme mesmo, acho que teria qualquer homem nos seus pés se quisesse. Seria mais ou menos como uma Marília Gabriela, que muitas garotas talvez odeiam, mas muitos, muitos, muitos, muitos homens a admiram e babam. Mesmo ela tendo lá seus sessenta anos.

O mais legal, é que era muito modesta. Tinha trilhões de mestrados e doutorados, mas tinha toda a paciência do mundo pra falar contigo sobre o Baldacchino na boa, olhando nos seus olhos, te explicando como se fosse pra um pirralho de quinta série que não sabia nem quem descobriu o Brasil direito.

Mais me dá dor de cabeça é "como uma mulher dessas tá 'solta' por aí"?
Será que lá dentro ela se sente ainda como uma menina virgem de quatorze anos que se sente insegura?
Será que é tão estudada que ignora totalmente a necessidade de um homem na sua vida?
Será que trabalha tanto que não é possível dar atenção nem mesmo pro cachorrinho em casa?

Sei lá. Pessoas me falam pra eu arranjar uma menina de vinte anos pra um relacionamento, mas não tenho paciência pra uma menina que fique me enchendo o saco dias e dias pra que eu a ligue, que tenha crise de ciúmes doentis, e outras infantilidades do gênero. Pra mim seria perfeito uma Marília Gabriela, uma mulher que eu tenha um papo cabeça, mas ao mesmo tempo tivesse disposta ao mais bacana: amar mesmo, com todas as letras. =)

Afinal, oras, o Giannechini ficou mó tempão com ela. E entendo ele perfeitamente que talvez dificilmente achará uma outra como ela, hehe.

Só preciso que uma dessas "mais velhas" me dê bola, hahaha!
Quem sabe?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog