segunda-feira, 14 de março de 2011

A tênua linha entre fracasso e vitória.

Estava lendo uma notícia de que o Twitter está fazendo cinco anos de existência. Parece que foi ontem? Naaada. Tou com quase sete mil tuítes!

Não se fazem sete mil tuítes em pouco tempo. É coisa pra caralho!

E a contagem deve estar também lá no talo dos totais de tuítes. Muita gente odeia, muita gente criou uma conta e ficou um mês, mas eu ainda resisto e sigo em frente! (não me orgulho disso! que fique bem claro!)

Mas que idéia de girico essa de twitter. Um site, onde você posta em 140 caracteres qualquer coisa e segue outros babacas que postam também em 140 coisas qualquer merda. Muita gente acha que o interessante do twitter é essa coisa das notícias, se seguir a BBC, o G1, o R7 ou então algum pseudo-estudioso-sabe-tudo como um Marcelo Tas, ou Interney.

Eu acho que a riqueza maior no twitter está no que as pessoas comuns escrevem! Sobre os tuítes eu li há um tempo que todos são gravados por bibliotecas dos estados unidos que estão lá pra gravar todo e qualquer novo tuíte. Para o que exatamente? O twitter é uma documentação pública de nada menos que o pensamento das pessoas. Tudo lá, gravado, pra qualquer um acessar.

Se você ver, por exemplo, os tuítes da galera durante a subida dos policiais nas favelas no Rio, o clima de uma quase Guerra Civil que se instaurou, verá depoimentos de pessoas dos mais diversos naipes: gente com medo, gente dando risada, gente nervosa. Que maior riqueza você pode ter do que o depoimento sobre algo dado por milhões e milhões de pessoas ao redor do mundo? Incalculável. E isso em até 140 caracteres!

Provavelmente quando criado a galera nem tinha metade do que isso viraria. Querendo ou não, o twitter só não morreu ainda por causa dos amigos jornalistas que o veneram, embora na real quase ninguém o use na prática (isso se comparado com outras redes sociais mais "fechadas" como Facebosta e o Orkut). Mas mesmo assim, cinco anos depois, continua forte e presente.

Eu, pelo menos, continuarei com o meu! Adoro o twitter!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog