segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Uma mensagem budista.

Eu dificilmente falo da minha religião aqui, certo?

Hoje vou falar um pouquinho. Mas o que vou falar, embora tenha aprendido no budismo que pratico, acredito ser um conselho que vale pra qualquer um, de qualquer religião.

Vamos entender que, para estarmos aqui hoje, vivos e lendo esse texto que estou escrevendo agora, um longo caminho desde lá detrás teve que ser trilhado. Se hoje o ser humano existe, é porque dependemos um do outro. Dependemos do policial para nossa segurança, dependemos da cozinheira do restaurante, dependemos da faxineira caso contrário o banheiro fica sujo, entre outras coisas.

O ser humano depende da ajuda do outro. Devemos ser solidários com os outros para que um dia sejamos ajudados.

Porém, um comentário que muito vejo das pessoas é: "Cara, eu sou sempre certinho e só me fodo!", e de fato eu pensava isso também. Mas eu acho que, aqueles que são bondosos, eventualmente quando alguém dá uma mancada, temos que correr atrás do prejuízo, mas o importante é continuar fazendo o bem ao próximo.

E assim, juntos, construir uma sociedade melhor. Se os políticos não pensassem só no enriquecimento próprio, teríamos mais investimentos. Se as pessoas não pensassem que "eu tenho dinheiro e gasto como quiser" não teríamos pessoas bebendo e dirigindo, morrendo pelos cantos ou empobrecendo. Isso e entre outras coisas.

O homem já é um bicho um bocado egocêntrico. E a gente não ajuda alguém em muitos casos caso ela não necessite muito. Sei lá, alguém morrendo depois de ser atropelado. Veja bem como as pessoas se reúnem e param o trânsito quando alguém é atropelado.

A questão é, e se estendermos a mão antes? Budismo ensina isso.

Se o motorista do carro tivesse sido solidário e deixado a pessoa passar, por exemplo, teria acontecido tal acidente? O egocentrismo do ser humano é algo auto-destrutivo. Ele se corrói quando pensa só nele, e se pararmos pra pensar, somente estamos vivos aqui hoje pois muitas pessoas nos ajudaram. E devemos ajudar pessoas mais ainda do que fomos ajudados.

Solidariedade é a palavra. Fazer o bem ao próximo. Ajudar ao próximo sempre.

Algo assim. Não citei muito o budismo, e isso pode parecer óbvio para muitas pessoas, mas a ideia é essa.
Ajudar os outros, ser caridoso, não importa com quem, quando ou como.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog