sábado, 10 de dezembro de 2011

In tune - Parte III - Aquele que descobre a verdade.

A fita havia passado toda e chegado ao fim. A tela estava exibindo chuviscos.

"Provavelmente queriam raptar seu filho, homens do governo, ou algum grupo em especial", Al começou, "E talvez o pai da criança queria exatamente isso, não permitir que ele fosse levado, talvez por isso tenha visto como única alternativa matar a criança do que vê-la sendo usada para outros fins".

"Eu sei que não conseguiria protegê-lo. Mas o Arch conseguiria. Depois fiquei sabendo que ele estava forjando um casamento de fachada comigo, para manter o meu filho longe deles. O único problema é que não contávamos com a genialidade de Émilie, que sabia de tudo, e estava a um passo na nossa frente", Noriko prosseguiu.

Al rebobinou e guardou a fita dentro de sua bolsa. Sentou-se na cadeira, e um clima de silêncio se instaurou no quarto por alguns minutos. Os olhos de Noriko lacrimejavam.

"A Émilie então deve estar por detrás disso. Nosso encontro foi previsto por ela, não tenho dúvidas. E essa fita foi apenas uma isca para que eu viesse pra Liége atrás de você. Ela não queria que eu a capturasse, mas que eu descobrisse toda a verdade sobre o expurgo e assassinato do meu irmão pelo seu ponto de vista", Al concluiu.

"Sim. Provavelmente", Noriko afirmou, "Você falando assim parece até seu irmão...".

"Mas... Você disse que sabe o paradeiro da Émilie, e sabe que ela está aqui nessa cidade. E que seu filho está com ela", Al pausou, tomou ar, e olhou firmemente para Noriko, segurando-a pelos ombros "Noriko! Precisamos encontrar a Émilie, e só você pode fazer isso!".

Foi aí que Noriko começou a chorar. Baixou a cabeça e derrubava um verdadeiro rio de lágrimas. Soluçava sem parar, e Al teve que pegar um copo d'água para acalmá-la. Depois de recomposta ela prosseguiu:

"Eu tenho um plano sim que estava pronto, mas não esperava que você aparecesse justo agora. Posso colocá-lo em ação, mas apenas me prometa uma coisa: se eu não conseguir, quero que você continue, sem hesitar, apenas siga em frente até o fim. E tem mais uma coisa...", Noriko pausou.

"Diga", Al pediu, ríspido.

"O que você fará quando finalmente encontrar a Émilie? Já pensou nisso?", Noriko concluiu.

Al ficou pensando, não sabia o que responder naquele momento. Provavelmente há sete anos atrás seu desejo seria acabar com ela, do mesmo jeito que ela havia sido a algoz do seu irmão. Porém, por outro lado, já havia se passado muito tempo. Muitas coisas aconteceram nesse meio tempo.

Ele simplesmente não sabia o que responder porque não tinha ideia do que poderia fazer.

Noriko calou-se. Depois prosseguiu, afirmando algo totalmente fora do contexto que deixou Al atônico.

"Al... Aquele que tentou matar meu filho não era o pai biológico da criança. Era apenas o de criação", Noriko concluiu, deixando Al abismado.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog