terça-feira, 6 de março de 2012

Buda era um cara que sabia das coisas.

Quando o Buda estava pra morrer muita gente ficou triste. Dizem que o universo, os animais, as pessoas, todos choraram de angústia - afinal, ele era um cara que manjava das coisas.

No momento em que ele sentiu que ia morrer, várias pessoas vieram ao seu encontro. Grandes líderes, donos de terra e ricos comerciantes vieram lhe oferecer o que tinham de melhor. Terras, dinheiro e tudo mais. E naquele momento, Buda fez o que era mais sensato: negou todos esses "presentinhos".


O cara tava morrendo, o que ele ia fazer com essas coisas? De nada adianta, você não leva essas coisas materiais pro túmulo.

Foi então que um jovem pobre, filho de um ferreiro e vestindo roupas surradas apareceu. Ele era Chunda, e fez a última oferenda pro Buda Shakyamuni. Chunda implora pra que Buda fique mais um pouco entre nós, e como ele não tinha nada de dinheiro ou terras pra oferecer, trouxe 15 pessoas pra ouvir um último ensinamento do Buda.

Ele implora pra que Buda fique um pouco mais de tempo entre nós, e diz o como é raro ter nascido na mesma época do Buda (oh, como eu queria também! Devia ser muito bom).

O Buda então diz que esse é o correto a se fazer. Chunda foi bondoso com as outras pessoas, ele poderia ter sido egoísta e ficado com o ensinamento apenas para si, mas ele foi lá e dividiu com as outras quinze pessoas. Isso se chama agir em prol do próximo.

É a bondade com o próximo que é o real ensinamento que o Buda nos deixou. Não tem nada a ver apenas com meditação, busca da iluminação pra si próprio ou se trancar num mosteiro na China.

Se você sabe que tem um buraco na rua, você não vai alertar seus amigos pra que eles não caiam e não machuquem? Isso é agir em prol do próximo, pensar no bem do próximo, pois apenas quando se vê a felicidade no outro é que nós alcançamos a felicidade.

O ensinamento budista é a mesma coisa. Se você aprendeu, compartilhe. Seja um grande veículo, pense na felicidade do próximo e expanda isso tudo. Chunda foi elogiado, e Buda diz que essa é a verdadeira natureza de Buda, e que não precisamos nos trancar em um mosteiro ou viver de modo asceta. Podemos praticar os ensinamentos do Buda no dia-a-dia e também alcançarmos a iluminação. Eles dão o termo de "budismo leigo", mas não quer dizer inferior, muito pelo contrário! É praticando com boas ações no dia-a-dia que a gente consegue expandir a harmonia e melhorar o mundo a nossa volta.

Portanto, não venha com esse papo de pensar apenas em si. Seja um grande veículo, e leve a felicidade para os outros praticando boas ações. Pode ser desde dar o lugar a uma senhorinha pra sentar no busão, ou ajudar um amigo seu a resolver um problema.

Esteja lá e amplie essa bondade, pois só a bondade pode curar. =)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog