terça-feira, 5 de março de 2013

Metal Gear Rising - Revengeance

(eu ainda não entendi esse título... Re-vingança?)



Eu sou super fã da série Metal Gear. Meus favoritos continuam sendo o Metal Gear Solid: The Twin Snakes  (remake do Metal Gear Solid original pro Gamecube) e Metal Gear Solid 4: Guns of the patriots. Dessa vez joguei Metal Gear Rising: Revengeance, onde a estrela é o viadinho do Raiden.

Gostei bastante! A mecânica do jogo mudou muito. Não tem mais essa de não ser visto (na verdade, se você é visto, fica até que mais divertido!). Pegar a espada e cortar as pessoas como pedaços de manteiga. Os gráficos ficaram muito bem finalizados, até mesmo a física do game (graças aos malucos da Crytec) e a história, bem... Senti falta de alguns personagens, mas pelo menos mostra a Sunny (ela é tão fofinha!).

O engraçado é que eu empaquei em apenas duas partes do game. Primeiro, o primeiro chefe, aquele lobo robótico. E... O último chefe, o senador Armstrong.

Esse último eu só consegui na base da tentativa e erro, isso vezes cinquenta. Ele suga muito sua vida, então o jeito é ficar com aqueles trecos pra recuperar a barrinha azul e quando ele jogar em você partes do Metal Gear Excelsior, você ligar o "ripper mode" e quando ele jogar os trecos em você, você entra no Zan-datsu. Isso vai fazer com que o zan-datsu dure mais e você tem tempo tranquilamente pra fatiar tudo e depois ainda encarar o Armstrong. E, de quebra, itens de recuperação (cai uns 4!), aí você deixa equipado e corre pro abraço. Fica bem mais possível de matar o Armstrong assim.

Mas o mais divertido do jogo é sair fatiando tudo por aí. Imagina se o Raiden tivesse uma Hanzo no lugar daquela katana dele? Aí sim eu vi vantagem, hehe.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog