quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Como é um treinamento budista. #5

Os dias de fechamento foram tranquilos. No sábado fui ao supermercado e preparei sanduíches de peito de peru pros convidados, e vimos o depoimento da minha amiga Erika, que estava entre os vídeos do treinamento. Foi muito bom!

Logo depois do treinamento fui pra casa da Nai, minha melhor amiga (e também minha afilhada!) e jogamos a tarde inteira, até a noite! Levei minha guitarra do Xbox e ficamos jogando. Foi muito bom! Como no sábado da abertura foi em casa, no sábado do fechamento foi na casa dela.

O Buda envia essas coisas pra eu relaxar um pouco também, eu acho. Acho que até ele sabia que eu estava muito tenso, e tentando manter o máximo de meditação possível pra que tudo desse certo. A maneira enviada pelos céus foi uma jogatina de Xbox!

No domingo veio um senhor que contratei pra montar os móveis do meu quarto novo. A idéia original era fazer todo o treinamento no meu quarto novo, mas tudo foi acontecendo para que não fizesse lá ainda. O altar budista e casa fica no meu quarto, só eu que sou budista em casa. Como minha casa está em reforma, acho que foi a forma que os espíritos do meu quarto sentiram de despedirem-se. Fazer um último treinamento de inverno no bom e velho quarto.

Porém mesmo com os móveis montados, não fui fazer o treinamento no quarto novo, e sim no antigo. Quando o treinamento terminou e as pessoas foram embora agradeci imensamente aos Budas por tudo ter ocorrido sem maiores problemas e que muitas pessoas vieram.

Budismo se fala muito em desapego do ego. Eu não tenho nenhum crédito com isso, tudo, tudo, absolutamente tudo foi graças à imensa compaixão dos budas para que tudo desse certo. Por mais que eu me esforçasse em chamar, em preparar lanches, em fazer com que as pessoas se sentissem o mais confortáveis possíveis, nada disso seria possível se a ajuda toda dos Budas não existisse. Seria um esforço vazio.

O Treinamento de Inverno sempre foi especial pra mim pois foi nele que eu iniciei minha jornada budista. Todos os anos é um misto de: "Putz, vai começar de novo!" com "Nossa, tomara que ocorra tudo bem!" e mais uma pitada de "Vou fazer de tudo pra que dê certo". Sou humano, não vou mentir que tive muito medo, mas independente do que fosse, como praticante budista, teria que estar preparado e ser forte.

Afinal, jamais espere bondade de uma pessoa fraca. Somente pessoas fortes são realmente bondosas!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog