quarta-feira, 28 de maio de 2014

As manias de minha mãe.


Nossa, agora que vi que o último post foi feito há mais de uma semana. Pois é, eu não morri ainda, embora eu tinha sido acometido por uma dor estomacal terrível semana passada, todos os dias, mas passou ontem. Era algo espiritual, mas já estou bem e novinho em folha!

Como está tendo reforma em casa, a gente tá achando aqui muita coisa que há muitos anos eu não via. Não sei se outras mães tinham esse hábito, mas minha mãe tinha o estranho hábito de guardar meus dentes-de-leite como se fosse jóias. Com meu irmão mais novo ela fez o mesmo também.

E nessa de mudar os cômodos de lugar, enquanto fuçávamos, encontramos meus dentes (nossa, se eu tivesse uns 70 anos isso teria outra conotação! Dentadura?)! E minha mãe deixou junto o dente do siso que arranquei no começo de 2006 (perdi o juízo, mas foi com dezoito anos, hehe!).

Realmente o bicho era imenso. Claro que o tempo deixou os dentes amarelados e um tanto quebradiços, embora que o último de leite que perdi tinha sido até que meio tarde, com oito anos. Eu lembro que perdi muitos na segunda-série, aliás, hehe. Lembro que pelo menos umas cinco vezes eu perdia os dentes na aula! Ele ficava mole, eu ficava brincando com ele, cutucando com o dedo, empurrando com a língua, até que ele caía na minha boca e... Jorrava aqueles rios de sangue!

E muitas vezes tinha que pedir pra professora pra ir na pia do bebedouro, cuspir um pouco daquele sangue e limpar os dentes. Eu lembro que a sensação era péssima de passar a língua e encontrar a gengiva. Não doía exatamente, apenas era uma sensação de que algo estava faltando ali. Mas meses mais tarde, lá estava outro dente nascendo no lugar, dessa vez, os definitivos.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog