quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Você criança teria orgulho de você adulto?



Esses dias tava ouvindo aquela música da Whitney Houston:

"I believe the children are our future
Teach them well and let them lead the way
Show them all the beauty they possess inside
Give them a sense of pride to make it easier
Let the children's laughter remind us how we used to be"


(rá! Acharam que era qual música? I'll always love you?)

Eu quando era moleque sempre quis ser adulto. Mas não sou dessas pessoas que sente falta da infância, minha infância foi muito dura e, embora não tenha me faltado nada na questão de sustento, meus pais foram muito rígidos comigo e não consegui fazer a coisa mais importante de quando se é criança: ser criança.

Mas o mesmo tempo eu tinha vários sonhos de quando fosse adulto. O primeiro era ter o cabelo que eu me sentisse melhor. Eu detestava cortar cabelo, e meu pai, num dos ataques dele, quando eu tinha uns nove anos me levou pra cortar cabelo e disse que "era hora de eu virar homem" e mandou fazer um corte jogado pra trás, pois era "de homem"...

Eu lembro que cortei o cabelo chorando até dizer chega, porque meu pai queria que eu, com nove anos, já fosse um adulto, e nem o cabelo que eu queria me deixava escolher.

Eu me sinto muito bem com crianças. Não tenho muito o sonho de ser pai, mas entre ir pra uma balada com música alta, tudo escuro, sem espaço pra andar e ir pra uma festa de criança com bolo, refrigerante e salgadinho, essa segunda vai ser sempre minha opção favorita! Ser adulto é muito chato.

Normalmente em festas de crianças hoje em dia eu aproveito pra ser a criança que meus pais nunca deixaram eu ser. Só dá eu, de quase dois metros, correndo, pulando, comendo doce. Eu me sinto muito bem! E as crianças não ligam não, acho que me vêem como um adulto meio criança por dentro.

Quando era moleque, eu ia pra festas de crianças e eu era proibido de brincar, tinha que ficar plantado do lado dos meus pais vendo as crianças correndo, pulando, fazendo bagunça, e isso sempre me machucou muito. E se eu desse uma escapada pra brincar de esconde-esconde que seja, quando chegasse em casa era surra na certa por desobediência.

Talvez seja por isso que eu sempre entendi o Michael. Gostaria de ter minha Neverland também pra voltar a ser Peter Pan. Se eu tiver filhos vou obrigá-los a brincar, é muito triste quando se é criança não poder ser criança.

Mas acho incrível o dom de adultos de complicar as coisas. Quando eu era criança a gente se apaixonava e pronto. Hoje em dia tem que mostrar se tem carro, se tem casa própria, se tem dinheiro, ser loiro.

Quando se é criança, a gente fica com raiva e briga. Quando adulto a gente engole e fica com aquilo remoendo dentro da gente.

Quando se é criança a gente tem amigos. Quando adulto a gente só sabe ir pra casa e dormir e dá a mínima pra ninguém.

Acho que o segredo é ser como na música da Whitney Houston: "Deixe as risadas das crianças nos lembrar de como nós éramos". E acho que essa simplicidade que é o segredo da felicidade. =)

Afinal, em que momento da vida esquecemos isso?

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog