quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

A pele que habito.


Uau! Eu sou fã de suspense. Embora os filmes de suspense fiquem tão gravados na minha mente que eu jamais os assistiria de novo (Vanilla Sky, Cisne Negro, O Iluminado eu só vi uma vez, e isso foi o suficiente pra uma vida inteira, não os quero ver pela segunda vez).

Ontem tava passando na tevê o A pele que habito, com o Banderas. Eu gosto muito das atuações dele, embora todo mundo lembre do cara só como o Zorro. Antonio Banderas é talentosíssimo, eu sempre tiro o chapéu pra ele, e minha atuação dele favorita é em Filadélfia, mesmo sendo um coadjuvante, roubou a cena (desculpa aê, Tom Hanks!).

Mas o cinema sente falta dessas histórias de psicopatas. Embora eles façam muito bem como coadjuvantes (como em "Os homens que não amavam as mulheres"), quando são os protagonistas aí sim que a gente vê que a doença é bem mais embaixo. Fiquei o filme inteiro achando que a Elena Anaya era a Penelope Cruz, afinal, é do Almodóvar esse filme (alguém imagina Tim Burton sem Johnny Depp? Eu não imagino Almodóvar sem Penelope Cruz!).

Que filme do caralho!

É mais um exemplo de maestria nessa parte de mostrar pessoas com papéis de pessoas com sérios distúrbios. Óbvio que é uma super viagem, mas o roterista tá de parabéns, porque vendeu a ideia de cientista louco de uma maneira que não ficou forçada.

Gosto muito da repetição das cenas. São detalhes, mas toda vez que o Banderas entra na mansão dele, a câmera está no mesmo ângulo, e isso se repete por umas três, quatro vezes durante o filme. Gosto muito também dos "silêncios" do cinema europeu, e Almodóvar, por mais que tenha sua própria linguagem, mantém essa tradição.

Muitas cenas de nudez, muitas cenas de sexo. Muitas bem explícitas. E, bem, Almodóvar além de pegar uma atriz talentosíssima como a Elena Anaya, que soube atuar tão bem que numa cena ela finge sem parecer forçado que não sabe andar de salto alto (ou vai que ela não sabe mesmo? Mas sei lá, ela é baixinha... Difícil uma baixinha não saber andar de salto). Detalhes da atuação que fazem a diferença.

Mas o que me espantou é que ela na época da gravação do filme ela tinha uns 36 anos! E ela ainda assim tem um CORPAÇO (NSFW)! Santa genética, Batman! Eu gosto muito dos traços das espanholas de raíz mesmo, tem um rosto forte e bem desenhado, além de muito expressivo e belos lábios. Almodóvar safadinho! Pegou um super avião espanhol para fazer o filme.

Na questão da fluidez, gostei bastante também. O filme, inclusive na sinopse, você pensa que o filme se trata de criar um super ser humano com pele de titânio (mentira, era porco!) resistente a ferimentos e tal, e durante muito tempo você acha que se passa de apenas um desses filmes estilo Marvel, ou algo assim. E aí o filme dá uma reviravolta!

Mas se contar, perde a graça. É como Vanilla Sky, saca? Ninguém vai querer ver o filme depois de saber esses detalhes. =P

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog