sexta-feira, 10 de abril de 2015

007 Contra o Homem com a Pistola de Ouro (1974)


É o meu terceiro filme favorito da era Roger Moore! Eu sempre fui curioso em ver esse filme porque no game GoldenEye 007 que eu jogava quando era moleque tinha como usar a Golden Gun, e era uma arma no jogo que era capaz de matar com apenas um tiro, não importasse a parte do corpo que acertava! Mas o filme é muito mais do que uma pistola feita de ouro feita por aí.

Basicamente o filme se trata de James Bond ir atrás do tal homem da pistola de ouro, Francisco Scaramanga, um ricasso (sempre é um cara rico como vilão!) que tem uma obsessão estranha por ser superior ao 007 em tudo. Scaramanga é um assassino profissional, implacável, que nunca perde sua presa. E no filme, seu alvo é Bond.


O filme se passa em cenários na Ásia. Macau, Tailândia e China! É engraçado a fascinação que esses países são capazes de despertar. Se até hoje é legal ir pra aquelas bandas, imagina na época? E o filme o foco é a investigação, porque ninguém nunca viu o Scaramanga, embora nós que assistimos já o vemos assinando um tiozinho no começo do filme (acima).

O Scaramanga tem até seu próprio cenário ilusório particular pra brincar de assassino com suas presas. É mole?


E olha só quem temos! Maud Adams, a Octopussy (em português, polvuceta). Esse filme foi feito nove anos antes, e dá pra ver que ainda assim em Octopussy, dez anos depois, ela tava muito mais gostosa bonita! Ela é meio vilã, pois é a mulher do Scaramanga. Tem uma morte bem tensa.

Tem uma cena em Bangkok numa mansão do vilão Hai Fat (que trabalha pro Scaramanga) onde Bond está invadindo e passa na frente de uma piscina, e uma linda asiática está nadando... PELADA. James Bond vê a cena e se apresenta.


James Bond: "Good morning. How's the water?"
Chew Mee: "Why don't you come in and find out?"
James Bond: "Sounds very tempting, Miss...?"
Chew Mee: "Chew Mee".
James Bond: "Really? Well, there's only one small problem. I have no swimming trunks."
Chew Mee: "Neither have I".

O mais bizarro é que eu quando vou fazer os posts eu busco imagens no google imagens. Até aí, normal. E eu busquei "Chew Me Golden Gun" no Google e, cacete, apareceu trocentas imagens dela.

Parece que a linda atriz Francoise Therry, que fez a Chew Mee, fez sucesso nessa cena, haha (tem uns peitinhos bonitos [+18], vai! ). Mas a brincadeira tá no nome dela. Chew Mee soa como "chew me" em inglês, que significa "me mastigue". Por isso Bond brinca dizendo "É mesmo?" quando ela fala que o nome dela é "me mastigue". Hahaha!

Tem uma cena onde Bond é pego e é levado pra tomar uma surra de lutadores de karatê. Ele consegue escapar (mesmo tomando uma surra!) e na saída tenta proteger duas colegiais sobrinhas do tenente Hip, seu contato e parceiro na Ásia. Mas parece que na verdade ele que acaba sendo defendido, pois as meninas são faixa preta em karatê!


E temos o retorno de um personagem engraçadíssimo que aparece no filme anterior, Com 007 Viva e Deixe Morrer, o xerife J.W. Pepper!


Eu não consigo definir ele de outra maneira como o americano padrão Homer Simpson, haha! Ele é muito sem noção, e o próprio ator pediu para incluí-lo no filme, e os roteiristas resolveram atender o pedido. E como sempre, as cenas com ele são sempre muito, mas muito engraçadas! Sejam pelos erros grotestos de gramática, ou por achar que está numa missão secreta ao lado de Bond.

E tem uma cena que ficou imortalizada no filme justo nessa perseguição com o J.W. Pepper do lado. A cena onde Bond precisa buscar Scaramanga (que está com a Mary Goodnight) e tem que pular uma ponte quebrada. Oscar pro carinha dos efeitos sonoros! Eu nunca ri tanto numa cena antes, hahaha!


Agora vamos falar dos vilões. Enquanto estava assistindo, minha mãe viu o anão Nick Nack (Hervé Villechaize) e o reconheceu de um seriado antigo pra caramba, a Ilha da Fantasia. Nele o Nick Nack era um anão bonzinho que realizava os pedidos das pessoas, já aqui no filme é um anão filho da puta danado de malvado que dá muito trabalho pra Bond!

Inconfundível o Nick Nack no seriado "Ilha da Fantasia", hahaha:


E como disse, Scaramanga é um vilão que quer superar James Bond em tudo. Quem assiste até diria que as semelhanças são tantas que é como se ele fosse o "lado mal" de James Bond. É um misto de rivalidade, admiração e ódio. E mamilos. Sim, Scaramanga tem três mamilos. E mamilos são muito polêmicos.

A cena mais legal é quando ele desafia Bond para um duelo. A Walter PPK com seis balas contra a Golden Gun com uma bala no paraíso onde ele vive. Um duelo final pra definir quem é o melhor, uma vez que Scaramanga tem Bond como um rival pessoal a superar.


Esse é só o começo da cena. No youtube tem o resto, mas o carinha que subiu a cena no Youtube não deixou embedar o vídeo. Mas só clicar nesse link que dá no mesmo! (Chupa essa, otário!)

E a BondGirl? POXA VIDA, ACHARAM QUE EU IA ESQUECER UMA DAS MINHAS FAVORITAS? Hahahaha!

Eu AMO de paixão a Mary Goodnight (Britt Ekland) ela é uma menina bobinha e muito, muito, muito atrapalhada. Trabalha no MI6, e inclusive aparece em outros livros auxiliando Bond (como no livro do A Serviço Secreto de Sua Majestade), e entre outros livros, mas nesse filme é a única vez que ela aparece, como BondGirl. Fala se ela não tem cara de mina que é da zuera:


Se eu fosse casar com uma BondGirl, eu casaria com a Mary Goodnight! Cara, ia ser zuera com ela pelo resto da vida, menina toda atrapalhada, engraçada, uma simpatia em pessoa! E ela tadinha, tem uma super queda pelo Bond, e o Bond nunca dá bola pra ela no filme inteiro.


Eles quase ficam prestes a dormir juntos, mas até nisso a menina dá azar, pois bem na hora chega outra mulher no quarto e Bond tem que rapidinho esconder ela no guarda-roupas (imagem acima)! Mas mesmo assim ela não perde o humor, menos ainda as trapalhadas que ela faz no filme (que são muitas trapalhadas, e todas engraçadas pra caralho!).


Mary Goodnight nos conquista com seu caráter puro, inocente e ingênuo. Óbvio que seu corpinho e seus lindos cabelos dourados e olhos azuis são lindos também, mas a personagem cativa muito, mesmo não sendo uma BondGirl tão gostosona como as outras. Goodnight é simples, e nos conquista no coração.

Goodnight, se Bond não te quiser, eu quero!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog