segunda-feira, 4 de maio de 2015

007 O espião que me amava (1977)


Chegamos ao último filme! E deixei o meu filme favorito pro final. Porque eu adoro esse filme? Por muitos motivos, que vão desde a trilha sonora, vilão, bondgirl, cenários e acima de tudo, a trama. 007 O espião que me amava ainda é um filme que me empolga como da primeira vez que o vi. Nele, James Bond, o agente britânico 007, tem que unir forças com Anya Amasova, a agente russa Triple-X, para parar um empresário maluco que quer criar uma nova e perfeita sociedade no fundo do mar.

O filme começa mostrando o sequestro de um submarino, que desaparece misteriosamente. No Kremlin, o general Gogol contacta agente Triple-X. A cena é curiosa porque mostra um casal na cama, e claro que todos pensam que tal agente Triple-X seja o homem. Mas na verdade, quem responde o chamado na caixinha de música é a mulher, Anya Amasova:


Na Áustria, Bond está curtindo uns sexo com uma loura. E recebe o chamado do MI6 pra se apresentar imediatamente. É engraçado quando a mulher diz "But James, I need you!", e Bond responde: "So does England!", hahaha.


Note que aos 2m00s do filme acima Bond mata um carinha. Apenas guardem esse fato, pois ele é o namorado da Triple-X, que estava numa missão pra matar Bond na Áustria. Mas Bond matou sem saber quem era o cara realmente, e nesse momento nem tinha noção do que aconteceria mais pra frente, menos ainda que trabalharia com a namorada do cara que deu um tiro.

E temos no final do vídeo uma das cenas mais fodas da série. James Bond pula de um desfiladeiro com esqui e tudo. E no final, abre o para-quedas, com uma imensa bandeira do Reino Unido. Se o filme parasse por aqui já estaria muito bom! Mas ainda estamos no comecinho. Pra ser mais exato, depois dessa cena temos o tema do filme:


A canção Nobody does it better, eternizada na voz da Carly Simon, foi a primeira canção-tema de um filme de James Bond que não tem o título igual ao filme (embora que na letra da canção ela fala "The spy who loved me" no meio da música). Simplesmente foi eternizada. A gente ouve até hoje essa canção, seja no Oscar, seja até em filmes como Sr & Sra Smith e até mesmo no filme da Bridget Jones já tocou.

É meu tema favorito de todos também. A sequência de animação é linda também! É engraçado ver esses peitinhos pontudos balançando, hahaha. Eu sempre fico cantando junto também. Nobody does it, better! Makes me feel saaad for the rest!


Curioso que na mesa do chefão soviético o que mais me chamou a atenção foi o telefone vermelho! Era um mito que existia nessa época, do famoso telefone vermelho de emergência que o pentágono e Kremlin poderiam usar para se comunicar no caso de uma ameaça atômica. A tal linha existia, mas não era um telefone, e tampouco vermelho. Mas foi algo curioso que os produtores colocaram!

Nessa cena Anya descobre que seu namorado foi morto e recebe sua missão, de buscar um microfilme com os planos para a construção de um sistema de rastreamento de submarinos super avançado e trazê-lo para os soviéticos.


Essa cena de briefing é bem curiosa! Na ponta esquerda temos um tal de almirante Hargreaves, interpretado por Robert Brown, que anos mais tarde faria o papel de M, depois de Bernard Lee. Na ponta direita é o Q com seu papo tecnológico e tal, explicando os paranauê.

Missão dada, missão cumprida! Vamos ao Egito então! Parece que o tal microfilme está sendo negociado no mercado negro no Egito. E claro que Bond não tem uma recepção muito calorosa:


Gosto muito do final da cena! Fekkish é o tal carinha suspeito de ter o microfilme. Bom, se ele está nas pirâmides, vamos lá. Bond chega no local e reconhece Anya Amasova (parece que os agentes todos se conhecem, mesmo que trabalhem para lados diferentes do globo) que também está lá pra pegar o microfilme do Fekkish.

Mas temos um novo amiguinho. E não é o Dollynho:


Jaws, conhecido no Brasil também como Dentes de Aço, que dispensa maiores apresentações! Muitos músculos e pouco cérebro, um dos vilões mais clássicos de Bond trabalhando pro malvadão do Stromberg. Ele aparece no próximo filme também, 007 contra o Foguete da Morte.

O maior suspeito de ter informações que levariam até o microfilme, o tal Fekkish, é morto pelo grandalhão aí. Tenso! Mas não tem nada que um drinque entre colegas não resolva. Bond vai investigar outra pessoa suspeita de ter o microfilme em um boteco ali mesmo em Cairo. E lá encontra a major Amasova vestida para matar:


Até mesmo a bebida favorita um do outro eles sabem! De Bond, todos conhecem, Vodka Martini, batido não mexido. A da major Amasova é Bacardi com gelo. E na conversa, Anya Amasova toca na maior ferida de Bond, e o fantasma da Tracy volta a aparecer, mesmo que por apenas alguns segundos:

Major Anya Amasova: "Commander James Bond, recruited to the British Secret Service from the Royal Navy. License to kill and has done so on numerous occasions. Many lady friends but married only once. Wife killed..."
James Bond: "You've made your point."
Major Anya Amasova: "You're sensitive, Mr. Bond?"
James Bond: "About some things."



Curioso que o tiozinho que estava com o microfilme, logo após ser morto pelo Jaws, é encontrado o corpo pelo 007 que ao ver que o microfilme havia sido levado pelo Dentes de Aço põe uma plaquinha de "Out of order" (fora de serviço) que estava na cabine telefônica em cima do corpo.

Bond entra no furgão de Jaws pra saber onde o grandalhão estava indo. Mas quem entra junto pra não perder a ação? Ela, Anya Amasova, claro! Jaws vai até as ruínas de um templo egípcio, e claro que temos briga. A parte mais legal é Jaws, de mãos nuas, quebrando o carro todo com socos. O cara é mito.


Ê agonia esse carro que não pega, haha! E claro que o carro nesse estado todo depenado não iria muito longe. Quando Bond e Anya desistem do carro e resolvem ir a pé toca até a música do Lawrence da Arábia toca (trollagem do sonoplasta, hehe!) enquanto eles caminham a pé no deserto.

Eles chegam num rio e, enfim, parecem estar salvos. Conseguem uma carona num barco, e Bond tenta chegar chegando na Anya, achando que pode conseguir uma trepada fácil. Amasova está lá, poucas roupas, passando frio, e começa a falar do treinamento dela de sobrevivência em climas extremos, como na Sibéria, falando dos pontos principais do treino:


Major Anya Amasova: "That it's very important to have a positive mental attitude".
James Bond: "Nothing more practical than that?"
Major Anya Amasova: "Food is also very important".
James Bond: "Mm-hmm. What else?"
Major Anya Amasova: "When necessary, shared bodily warmth".
James Bond: "That's the part I like".

It's a trap! Amasova aproveita que Bond tava pertinho e tasca um cigarro que na verdade estava cheio de pó sonífero, assoprando na casa de Bond e derrubando o cara, e pegando o microfilme. Bond vai então onde o MI6 estava alocado em Cairo, e eles analisam o conteúdo do microfilme. Os cinco analisam, general Gogol, major Amasova, Bond, Q e M.


E descobrem que havia um carimbo das empresas de Stromberg, um magnata cheio da grana, que agora é o maior suspeito. Os dois líderes resolvem fazer um pacto de amizade e pela primeira vez a União Soviética e o Reino Unido dão as mãos para enfrentar um inimigo em comum. Bond e Amasova irão atrás de Stromberg!

Eles pegam um trem até Sardenha. Só que quem estava no trem também pra complicar as coisas?


Anos mais tarde o ator que fez Jaws (Richard Kiel) confessou que deu um pulo quando assistiu essa cena pela primeira vez, hahaha! Susto da porra. Como podem ver, Bond é um franguinho perto do Jaws, mas ainda assim a luta é muito boa.

Bond volta e meia luta em trens. Essa não foi a primeira, menos ainda a última. É outro clichê usado na trama! Logo depois dessa cena conhecemos o carro da vez. O Lotus Esprit:


Nesse momento o Q só revela pra 007 as traquitanas desse novo carro. Nem nós, menos ainda a major Amasova ouvem a conversa entre os dois explicando o funcionamento do carro. Não preciso nem dizer que é algo sensacional, né? Já já eu mostro!

Bond vai ao encontro de Karl Stromberg, o vilão. E descobre que o cara é um maluco mesmo, que não aperta as mãos das pessoas quando lhe estendem (hã?). Cheio de nojinhos:


Mas como se seu medo de pegar germes não fosse o suficiente, o cara ainda quer construir um conjunto de moradias submarinas - que na verdade é um disfarce para seu plano de aniquilar a raça humana e deixar apenas alguns escolhidos a dedo por ele povoarem a nova Terra (ou planeta Água, já que será tudo submarino).


Engraçado que a desculpa dele pra aniquilar a raça humana é porque na opinião dele o ser humano não presta, vai se auto-destruir pois todos os valores e blá-blá-blá-whiskas-sachê-blá-blá-blá de moralidade e bons costumes foram pro foço.

E o filme é de 1977. Se há quase quarenta anos atrás o pessoal achava isso da humanidade, se seu argumento de que antigamente eram tempos melhores, sinto muito, mas era a mesma bosta que hoje em dia, hehe.

E claro que Stromberg descobre quem é James Bond e Anya Amasova, e manda capangas atrás deles e seu carrão.


E aí em uma ação desesperada de se safar dessa, Bond joga seu carro no meio do mar! E aí que mostra uma das engenhocas mais legais que o Q colocou num carro em toda a história. O Lotus Esprit vira um fucking submarino.

FU-DI-DO. Sem mais, meritíssimo.


A cena dele saindo na água é excelente também! Tem o tiozinho bêbado que aparece em 007 contra o Foguete da Morte e no 007 Somente para seus olhos. Pra quem não sabe, ele é Victor Tourjansky, diretor assistente do filme que faz o papel do bêbado que não acredita nas coisas que vê e sempre olha pra sua bebida com cara de culpado!

Ele é visto aos 0m24s desse vídeo:


E aí, alerta pra PLOT TWIST!

Bond e Amasova estão lá como dois pombinhos reunindo as informações que coletaram e investigaram, e aí a Amasova vai fumar um cigarro e vê que o isqueiro que Bond comprou é bonito, e pergunta onde ele comprou. E ele fala que foi na Áustria, durante uma missão, há três semanas.

E nem preciso dizer que Amasova associou uma coisa com a outra. Bond estava na Áustria em uma missão no mesmo tempo que seu namorado também estava por lá, com a missão de matar um agente certo britânico - no caso, Bond - só que ele acabou morto por Bond no começo do filme. Olha a cara dela chocada quando descobre:


Ela faz ali uma promessa: assim que a missão acabar, vai matar Bond. Tá fudido, rapá!

Gosto muito do gelo que ela dá em Bond quando eles estão sendo transportados pra um submarino que serviria de isca pra Stromberg. Olha o Bond sorrindo com cara de cachorro carente e ela nem dando bola pro cara, hahaha:


Realmente a menina tá puta. Um conselho, Bond: quando mulher tá assim nem chega perto!

E o submarino acaba sendo pego pelo Stromberg, e Bond e Amasova são presos no navio imenso de Stromberg que engole submarinos. E ali mesmo ele mira duas ogivas nucleares pra explodirem em Moscou e em Nova Iorque. Bond consegue mudar o alvo dos mísseis e os mísseis acertam os próprios submarinos que lançam as ogivas.

Com o mundo salvo, e o navio de Stromberg afundado, agora Bond tem que correr e salvar Amasova, já que ele fugiu com ela pra sua fortaleza submarina (mas pera aí... Não havia um trato que ele seria morto por ela depois que a missão acabasse?).


Para isso Q manda pra Bond um protótipo de uma wetbike (acima). Na época era uma novidade, não havia nada de igual feito, menos ainda jetskis de hoje em dia! Quem diria que mais pra frente isso viraria até um esporte. Legal!


E aí, temos a luta final entre Bond e Stromberg. Bond o encontra numa mesa imensa comendo, e Bond vai lá e senta na ponta (educação britânica, saca?). Só que havia algo embaixo da mesa:


Bond, com seus reflexos fenomenais, escapa. E devolve o tiro, mirando nesse cano embaixo da mesa, que acerta o vilão bem no meio da... Bom, vou deixar a expressão do Stromberg resumir o lugar que o tiro de Bond acertou:


Cara, se um chute lá embaixo já dói pacas, imagina um tiro? Não sei o que ocorre quando isso acontece isso na vida real, mas o Stromberg morre depois do tiro nas bolas. Viver sem o peru ia ser osso!

Bond salva Amasova depois de um rápido confronto com Jaws (que sobrevive no final do filme!). Quando eles estão na capsula de fuga de Stromberg enfim chega a hora da verdade. A hora da vingança da Anya Amasova:


Bom, no final os sentimentos da Amasova acabam sobrepujando o ódio dela e a vontade de se vingar de Bond e aí os dois juntos são pegos no bem-bom pelos seus chefes depois de serem resgatados.

M: "007!"
General Gogol: "Triple X!"
Minister of Defence: "Bond! What do you think you're doing?"
James Bond: "Keeping the British end up, sir".

Está no começo desse vídeo de coletânea de vezes que Bond foi pego fazendo sexo, hehe. Sensacional ainda mais é o papel no champanhe na cena!

É issaê! Manter a Inglaterra em pé, hahaha.

Esse filme além de ser meu favorito, é meu favorito em diversas coisas se analisadas separadamente, como trilha sonora e trama. Mas nada pra mim supera a beleza da Bondgirl, Anya Amasova, também conhecida pelo codinome Agente Triplo-X que ganhou vida na atuação de Barbara Bach.


Quando eu era moleque meu sonho era casar com ela! Eu acho ela tão bonita! Pra mim é a BondGirl mais bonita de todas. E sabe com quem ela é casada na vida real? Infelizmente não sou eu (ela também poderia ser minha avó), mas sim o Ringo Starr.

A atuação dela é genial. O sotaque russo dela é bem sutil, nada forçado e engraçado (isso é muito importante!). Eu gosto muito pois ela sempre passa o ar de ser muito segura e estar sempre no controle da situação, até debochando em muitas partes do próprio Bond que tem hora que nem sabe o que fazer com os sorrisos cínicos dela!


A rivalidade entre os dois é óbvia, assim com havia a rivalidade entre o Reino Unido e União Soviética. A personagem dela é tão bem construída que esbarra em outras duas lendas, como a Melina Havelock de 007 Somente para seus olhos e a própria falecida esposa de Bond, a Tracy Bond, de 007 A Serviço Secreto de Sua Majestade.

Afinal, ela é uma agente de elite do seu país também, e seu comportamento é muito parecido com Bond, especialmente na cama, bebida e armas. Ela é a espiã que nós amamos depois de assistir o filme, isso sim!


E a beleza dela mereceria um post á parte! Eu adoro esses olhos redondos e expressivos. E esse rosto dela fica lindo, seja com cabelo preso ou solto. E o corpo dela é bem bonito também, na medida certa e perfeita, sem adicionar nem tirar nada. Barbara Bach sempre foi um sonho pra mim, sorte do Ringo que realizou esse sonho e está há anos casado com ela.

Pois casado esse pacote todo nessa perfeição de mulher, só depois que a morte separe, mesmo! Iria aproveitar cada segundinho desse sonho até lá!

- - - - -

Bom esse é o último filme que faltava! Terminando com chave de ouro! Se você leu até aqui, muito obrigado! Se quiser ler os outros, é só buscar os posts com a tag James Bond aqui no meu blog. Espero que tenham gostado até aqui! Foram dois meses de muitos posts, e já estou com saudades dessa maratona (por mais que tenha dado um trabalhão também). Continuem visitando!

Muito obrigado!

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog