terça-feira, 30 de junho de 2015

Bad (1987)


O ano é 1987. Michael descobriu vitiligo pouco antes de Thriller. Tem até algumas imagens do corpo dele com as manchas características ainda na época do The Jacksons, e claro que ficaria cada vez mais bizarro todas aquelas manchas dominando o corpo. Logo, Michael ficou alguns anos em tratamento para acelerar o processo do vitiligo para tornar a pele mais uniforme possível. Por isso, anos depois de Thriller (1982), ele aparece assim, "branco" em Bad .

E anos antes ele sofreu aquele incidente da queimadura nas filmagens de um comercial da Pepsi. Isso fez ele até mesmo criar um centro de tratamento para pessoas que sofreram queimadura com toda a grana da indenização da Pepsi pra ajudar pessoas na mesma situação que ele. A máquina que Michael se tornou depois de Thriller começou a alimentar também tablóides sensacionalistas que nessa época já inventavam diversas coisas sobre ele - tornando ele de uma pessoa incrivelmente criativa em um maluco solto por aí.

O álbum Bad foi a resposta dele pra isso tudo. Michael queria mostrar com essa figura de macho, malvadão, o cara das ruas quem mandava no pedaço. Não podemos esquecer também que nessa época também apareceu um rival de Michael, o cantor Prince, que praticamente copiava em tudo o Michael, descaradamente. E a resposta disso tudo foi Bad. Mas Michael, você nunca foi mal, menino, menos ainda um cara das ruas. Precisava disso tudo?

É um ótimo álbum, e eu adoro o trabalho, é meu segundo favorito. Foi o último da parceria com Quincy Jones, e foi totalmente co-produzido por Michael e Quincy Jones. Acho que Michael também tinha um enorme carinho por Bad. Marcou a primeira turnê mundial, a Bad World Tour, que não deu as caras no Brasil, mas juntou milhares de pessoas no mundo inteiro.

E também, não dá pra citar que foi quando a primeira cirurgia no nariz foi feita. Michael admitiu que essa cirurgia foi feita pra ajudar ele a cantar melhor - e de fato, a qualidade e afinação dele desse momento em diante é fora de limites. Michael tinha muitas dificuldades pra puxar sons graves, e agora depois dessa cirurgia no nariz enfim ele consegue fazer mais fácil uma das coisas que ele mais teve dificuldade: puxar pros graves, como em Speed Demon, nesse álbum.

O álbum teve duas edições especiais. A primeira em 2001, assim como todos os outros, lançado remasterizado, com entrevistas com Quincy Jones e três faixas exclusivas inéditas:


E mais uma outra edição especial marcando os 25 anos de lançamento do álbum, com uma nova capa e também e MUITAS faixas inéditas, e três remixes de bosta também, afinal sempre tem um povo querendo tirar uma casquinha:


Vamos para as músicas!

1 - Bad (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
"Your butt is mine". A música já começa bem, haha, indicando que meu orifício anal pertence ao Michael. Quando eu era moleque, Bad com seu "PÃ-PÃ-PÃ-PÃÃÃ" no início era o lembrete perfeito de quando esquecia o som no volume máximo. Até hoje. Acorda os defuntos de Thriller. Bom, a letra é muito boa! Super mostrando que quem manda na bagaça é o Michael, afinal, ele é mal, muito mal. Who's Bad?


Eu indico fortemente que assistam a versão estendida do clipe. Foi dirigido por ninguém menos que Martin Scorsese. O cara junto do Michael levou um simples clipe a outro patamar criando um curta metragem. Dois monstros da arte. O clipe foi alvo de uma paródia do próprio Michael em Badder, parte do filme Moonwalker, onde é estreado por ninguém menos que crianças. Bad é Bad, não existia melhor maneira de começar o álbum do que com a faixa título, sensacional. O sucesso de Bad foi tanto que até Weird Al Yankovic fez paródia, criando o Fat. Sem dúvida Bad se tornou imortal!

E estamos só na primeira faixa do álbum.

2 - The way you make me feel (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Ah, eu adoro essa música! Tem várias declarações de amor bacanas na letra da música. E fala sobre deixar de tudo e se entregar mesmo, dar uma chance pro cara, parece minutos de imploração com muita empolgação, sem ser melosa. A batida é muito empolgante, e os instrumentos de sopro como aquele toque do Quincy Jones.


No clipe, Michael divide espaço com a gatíssima modelo Tatiana Thumbtzen, tentando por cima de tudo conquistá-la. Acho que foi meio pesado ele ficar fazendo aquele gesto de trepar com ela (aos 2m10s), talvez na vida real a menina te acharia um maníaco e correria de você, mas tudo bem, é um clipe e vale sonhar. Mas não tente isso na vida real. #fikdik

3 - Speed Demon (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Tá aí o motivo pra fazer a plástica no nariz! Essas notas o Michael alcançaria nunca com a antiga anatomia narina. Dá pra perceber os graves, tons antes bem complicados de alcançar. A música é outra na pegada mais "malvada" do Bad, com sons de motocicleta e coisa e tal. Eu gosto muito da mudança aos 1m38s da música! Que exalta que o eu-lírico não é apenas um motociclista que não vê diferença entre o bem e as leis de trânsito, mas acima de tudo ressalta a liberdade que é andar sobre duas rodas.


O clipe faz parte do filme "Moonwalker", embora seja muito legal e nunca incluído nos DVDs de clipes do Michael (o que é uma pena, pois é muito bem produzido!). O interessante é que Michael mostra como é o assédio dele dos fãs, que nunca medem esforços e são até meio psicopatas pra chegar perto dele, haha. E aí ele se veste de coelho headbanger e sai por aí na sua moto turbinada. Eu acho muito legal!!

4 - Liberian Girl (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Quando eu era moleque eu pensava que era "Garota liberada" a tradução, mas na verdade é liberiana. Sim, do micropaís nas África chamado Libéria. Sua população de doze pessoas na época ficaram super felizes quando Michael os citou, afinal, esperaríamos qualquer país menos... Libéria! Talvez Papua Nova Guiné, ou Turcomenistão, ou ainda Tuvalu, mas nunca Libéria, haha. Piadas à parte, a música é uma baladinha muito bem bolada. Tem um coral de fundo muito afinado e essas cordas de fundo dão um ar todo divino, surreal na música, a fazendo quase flutuar.


Yes, nós temos batata! E um clipe bem chato. Mas temos. O clipe começa mega estiloso em preto-e-branco, achamos que é outra obra-prima do Michael, mas é... Rá! Pegadinha do Mallandro! Parece que Michael chamou todos seus amigos famosos pra um churrasco na lage, e no final ele malandrinho estava filmando todos. Tem de tudo: Paula Abdul, Whoopi Goldberg, Olivia Newton-John, Don King (!!) e seu "filho" (??) e até o caça-fantasma Dan Aykroyd. Que deus o tenha.

O que? Ele não morreu?

5 - Just good friends (Terry Britten, Graham Lyle) :: Link para ouvir na Rádio UOL
O dueto que todo álbum tem que ter! Dessa vez com aquele que é um cara bem legal, pena que não pode VER mulher: Stevie Wonder. Eles sempre foram bem amigos! Ao contrário do McCartney que só sabe comprar briga com suas bochechas de Kiko do Chaves. A música é muito legal! Eu acho o máximo como as vozes dos dois combinam. A música fala sobre - de novo - a pegação nossa de cada dia. Dois amigos competindo por uma mina, mas a amizade prevalece. A parte mais legal? Tem uma parte que o Michael fala: "Listen Up, Hee . . .We've Got A Problem Here!" e o Stevie Wonder responde: "I can SEE the signs". Tem algum termo aí desencontrado... Hahaha. Brincadeirinha, Stevie, nós te amamos (ao contrário do Paul McCartney asshole)!

6 - Another part of me (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
O single foi lançado pertinho de quando eu nasci! Dia 11 de julho de 1988, eu nasci no dia 22. A música eu nunca consegui entender direito, e é a que eu menos gosto do álbum Bad, sempre achei ela meio deslocada. No lugar iria a canção Streetwalker, que anos depois foi lançada na edição especial do álbum. Mas não é ruim não! É super anos oitenta, aquelas batidas graves, pop genuíno da época.

7 - Man in the mirror (Siedah Garrett, Glen Ballard) :: Link para ouvir na Rádio UOL
A música composta por Siedah Garrett (que faria outro dueto nesse álbum na próxima faixa) é simplesmente uma das músicas mais sensacionais. E acho que essa música é um embrião do que viria a seguir, com Heal the world, em Dangerous, pois é uma música que fala em fazer o bem, se olhar no espelho e começar a mudança em nós mesmos. É realmente uma música linda, e volta e meia me faz até chorar, de tão bacana que é.


É uma das jóias de Bad, sem dúvida. Ela é a canção que começa o filme Moonwalker, mostrando uma apresentação ao vivo do Michael e mostrando alguns clipes no fundo de situações que mudaram o mundo e foram televisionadas recentemente. E o "Chaaaaange" na bomba atômica? Nossa. Impossível não se arrepiar.

8 - I just can't stop loving you (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Ah, o amor é lindo. E pensar que ele regravou essa música em espanhol e francês. Até em português rolava um "Não consigo deixar de amar tu", hahaha. Eu acho que se Michael fizesse uma dupla legal com uma mulher ficaria ótimo. Acho que a voz dele fica bem masculina ao lado de um vocal feminino, por mais que seja aguda. É uma das baladinhas mais famosas e bacanas da carreira de Michael, também marcou história. Daria tranquilo pra um filme da Disney. Fácil, fácil.

9 - Dirty Diana (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Esse também é o embrião de outra característica das músicas de Michael: a revolta. A música não é o ritmo pop casual, e sim rock. Sabe quem adorava a música? Lady Di, a princesa, hahaha. Mas claro que a música não era sobre ela. A música é tipo uma remodelada de Billie Jean, só que o que a outra tinha de tristeza, essa tinha de "alisa minha rola" (não estamos falando com você, Malafaia!).


A letra é bem pesada até. Fala sobre uma fã safadinha que só queria ficar seduzindo o eu-lírico. Eu ouvi uns boatos que essa música era descrever como era as turnês de Michael e seus irmãos, no The Jacksons: muita menina só queria saber de muita putaria e "roletrando" com eles. Mas ainda assim, é do caralho a música. O clipe é parte do filme Moonwalker também.

10 - Smooth Criminal (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
"Annie, are you ok? Are you ok, Annie?", haha. A música que quero dançar no meu casamento, haha (se você quer se casar comigo, considere fortemente isso na hora da valsa, ok?). Cara, eu poderia ficar duas horas falando desses quatro minutos e dezessete que é Smooth Criminal. Mas a música é muito boa. A letra é super simples, e mantém todo aquele clima de gangsters americanos do começo do século passado. E fala sobre o assassinato (ou tentativa) de uma menina chamada "Annie", descrevendo todo o suspense de ter um assassino no seu encalço.

Ia ser a música-título do álbum, mas Quincy "Chatão" Jones não deixou cuzão filho da puta. Tem algumas curiosidades, como a frase que sempre se repete "Annie, are you ok?" é uma referência ao treinamento de massagem cardíaca que pessoas fazem, onde a manequim se chama "Annie". A canção é também parte do filme "Moonwalker", e é a base do real plot do filme. Eu gosto mais da versão sem cortes do filme, pois o "transe" completo dos atores no clipe é bem mais legal (5m10s em diante):


E além de ser o primeiro clipe oficialmente mostrando o moonwalk (o passo pra trás) tem a famosa inclinação de 45 graus. Patenteada e tudo mais. É um dos trecos mais legais, que Michael fazia até mesmo em shows, e era simplesmente genial. Diga-se de passagem que deveria se ter uma força imensa nas pernas, porque inclinar tudo isso e voltar, nossa. Só Michael mesmo.

11 - Leave me alone (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Como na época existia LP (algum jovem sabe o que é isso?) essa música era exclusiva pra quem comprasse o CD, faixa bônus. É uma canção de revolta que fala sobre o assédio da mídia, que já naquela época começava a tecer todos os boatos idiotas sobre a vida de Michael e sobre sua originalidade, chamando o cara de louco. O clipe exemplifica muito isso.


Afinal, nele, Michael é o parque de diversões da mídia. Tem trilhões de referências, e essa música é tão bacana que mereceria um post à parte. E tem até o saudoso chimpanzé Bubbles! Parece a capa do álbum Dangerous em forma de clipe. Simplesmente uma obra única! Adoro o pianinho!

Faixa bônus - Streetwalker (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Essa música, na minha preferência, só perde para Smooth Criminal. Engraçado que as pessoas que foram fazer o jogo The Michael Jackson Experience e colocaram essa música, mesmo ela não tendo clipe e menos ainda sido lançada oficialmente. Quando eu ouvi a primeira vez me apaixonei. Tem uma mudança de ritmos muito legal, um refrão que fica na cabeça, uma escrita mais "das ruas" e sobre a paixão despertada em uma... prostituta (streetwalker). Pena que colocaram "Another part of me" no lugar. Ia deixar o álbum simplesmente perfeito!

Faixa bônus - Todo mi amor eres tu (Michael Jackson, Rubén Blades) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Versão em espanhol da baladinha "I just can't stop loving you". A letra ficou muito bem adaptada e composta, feita com o olho clínico do Michael! Mas o mais legal é que o cara sabia mandar bem no espanhol, cara. E não falo porque sou fã não. Coisa boa mesmo!

Faixa bônus - Fly away (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Michael produziu muita coisa na era Bad. Acho que era um álbum que ele tinha um carinho especial, sempre nas coletâneas ele colocava várias canções do álbum. Essa é mais uma daquelas baladinhas que mereciam estar no álbum! Gosto muito da clareza da voz do Michael, fica super em primeiro plano, sempre afinado como sempre.

As faixas abaixo são do disco 2 da edição especial de 25 anos de Bad

Faixa bônus - Don't be messing around (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Tá aí uma música que levou tempo pra sair e morreu na praia. E é ruim não! Michael começou a gravar na época das gravações pra Bad, depois mexeu um pouco nela na época das gravações dos álbuns Dangerous e HIStory. Note a aproximadamente 3m00s da música o super ritmo empolgante dos "Pa-pa-pa-ra-pa-pá". Bem legal!

Faixa bônus - I'm so blue (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Eu sou tão azul, igual um smurph! hahaha. Baladinha bacana! Refrão legal. Se hoje cantor sertanejo faz refrão com "Tchê-tchê-rê-tchê-tchê", Michael estava fazendo isso há trinta anos antes de você com muito mais estilo, menino. E nem é tão deprê, mesmo com o título. É bem bonitinha! Tem até uma gaita no meio.

Faixa bônus - Song Groove (a.k.a. Abortion Papers) (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Essa música caberia em um filme do Eddie Murphy na década de oitenta, haha. Esse ritmo é bem legal! Bom, essa música iria deixar muita mulher de hoje em dia meio... Puta da vida, pois fala sobre aborto. Dizendo que se assinar o papel vai estar cometendo um assassinato e tal. Eu francamente não tenho opinião nem a favor, nem contra o aborto, então não opino (afinal, quem tem que ter opinião sobre isso são as mulheres, pois o corpo é delas), haha. Mas a música é legal também!

Faixa bônus - Free (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Super música de "good vibes"! Música leve, letra confusa (parece inacabada a composição) mas vale a pena ouvir! Ritmo bem diferente, gosto muito do baixo arrebentando nessa música ao fundo. Bacana!

Faixa bônus - Price of fame (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Música desabafo sobre como é viver na fama. Não vou falar muito da música, pois o refrão resume tudo. Saca só que tenso: "Father always told me, 'You won’t live a quiet life', If you’re reaching for fortune and fame, I fell the pressure setting in, I’m living just to win; I’m down in my pain, Don’t you fell’ no pain ?". Foda.

Faixa bônus - Al Capone (Michael Jackson) :: Link para ouvir na Rádio UOL
O irmão de Smooth Criminal! A música Smooth Criminal ia se chamar "Chicago 1945", mas foi renomeada e depois com o restante da letra virou a canção "Al Capone". A semelhança com Smooth Criminal é inegável! Estrutura musical muito similar, mas consegue ser mais sombria ainda por não conter o clássico violino da canção original, que dava todo um tchan na música.

Faixa bônus - Je ne veux pas la fin de nous (Michael Jackson, Christine "Coco" Decroix) :: Link para ouvir na Rádio UOL
Versão francesa de "I just can't stop loving you". A tradução é algo como "Não significa o fim para nós". Eu detesto franceses e sua língua maldita, seu povo maldito, suas cidades malditas, sua história maldita e sua existência m... de merda. Porque nem mesmo o mesmo xingamento esse povo nojento merece. ;)

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog