quarta-feira, 6 de julho de 2016

Protetor solar

Eu na adolescência sofria de uma coceira imensa quando eu andava na rua. Isso começou a dar com uns dezessete pros dezoito, e, bem, era péssimo. Os braços viviam arranhados, o rosto também. E durante anos fui em dermatologistas pra tentarem descobrir que se passava - sem resultado.

Até que uma dermatologista sugeriu que talvez minha pele fosse sensível ao sol. O nome disso é urticária solar, que parece muito uma alergia mesmo, aparecem umas manchas vermelhas na pele e coça horrores. Aí essa dermatologista me sugeriu: passa protetor solar. E, bem, basicamente por todos os dias da minha vida desde que fiz uns vinte anos ando passando protetor solar todo santo dia.

Óbvio que tem suas vantagens. Minha pele está distante de ter rugas (embora eu tenha sardas), mas não quer dizer que está livre da vermelhidão. Mesmo quando estou com o corpo coberto e com filtro solar o sol ainda acha um lugar pra queimar, é incrível. No inverno por incrível que pareça é a época que eu mais sofro, porque quando está muito frio naturalmente buscamos um pouquinho de sol, mas parece que como em geral no resto do ano eu não tomo sol, quando eu tomo um sol no inverno é tiro e queda: Saio todo vermelho, mesmo passando protetor e tudo.

Mas óbvio, eu tomo cuidado!

Nesses seis anos passando protetor diariamente eu posso dizer que já experimentei um pouco de todas as marcas. Já usei muito o Nivea, mas começou a ficar muito oleoso e difícil absorção. Já experimentei um bem caro da Laroche-Posay, mas embora protegesse muito (era muito raro ter um vermelho na pele) era bem fedido e se minha pele tava um pouquinho oleosa, já era, a cara ia ficar branca o dia todo.

Ultimamente eu ando usando o Sundown, da Johnson & Johnson's, bem popular e que em qualquer canto se acha. É excelente, mesmo em FPS elevados. Mas um que tá ganhando minha preferência ultimamente é o da Coppertone Sport, que a marca chegou com tudo no Brasil com novos produtos e esse aí eu posso sair tranquilo e lavar o rosto que continua protegendo. São os dois que eu mais indico.

Mas existe um, esse da foto, que é o mito! É um protetor solar super vagabundo do Japão, custa uns 120 ienes (uns R$4,00), mas, nossa, se eu pudesse ter uma caixa desse Sun Bears (foto) sem dúvida eu seria feliz. Sempre que algum amigo vai ao Japão eu peço pra trazer um. O meu favorito é esse vermelho, que é pra pele oleosa. Mas existe um rosa (pra pele seca) e um azul (que é mentolado, e mega refrescante) que eu já usei e aprovei muito.

Eles poderiam vender uma de 2 litros desse protetor. É excelente.

Mas porque raios ele é tão bom? Tem um aroma muito gostoso, absorve ultra rápido na pele (ele tem textura líquida, não de creme), e me protege muito, muito mesmo! E como normalmente no inverno minha pele fica seca eu uso o rosa. No verão eu uso o vermelho ou azul. Apesar de vagabundo e extremamente barato consegue dar de dez a zero em muito protetor ocidental.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog