sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

Nos último final de semana tive duas (!) formaturas seguidas. A primeira foi a dos meus primos de colação de término do primeiro grau. A segunda foi a minha, colação do segundo grau. Queria postar antes, mas o server da Weblogger ta congestionado e não estava conseguindo acessar direito no final das contas. E sem contar que esse texto já estava pronto desde a terça-feira, só estou postando hoje, na sexta.

Primeira formatura - 16/12
O dia começou calmo, com calor, sem ventos. Apenas uma brisa que vinha de vez em quando pra dar uma esfriada nas espinhas e aumentar ainda mais o frio na barriga. Mas eu estava até que calmo. Desde que eu parei de roer unhas tenho ficado muito mais ansioso... Duas vezes mais!

Fui lá pegar meu smoking, que iria usar apenas na minha formatura, num ônibus entupido de gente. Odeio concentração em massa de pessoas... E o pior que meu irmão queria usar terno também, então lá ia eu e minha mãe levando dois ternos. O meu era obrigatório, porque eu odeio usar terno, principalmente em época como agora, dezembro, calor, suor.

Já trajado de preto a roupa ficou até que legal... Combinando com a minha cara dissimulado e meus olhos de ressaca quase negros, com certeza poderiam me confundir com um Drácula, no mínimo! Chegando lá no Clube Indiano (aqui em São Paulo mesmo) convivemos com vários animais, pernilongos, aranhas, formigas e até baratas. Sobrou pra mim, apenas pra variar um pouco, assassinar todos.

Tinha uma vaquinha que iria se formar que parecia que tinha ganhado o celular no dia... Fazia pose com ele, e ainda vivia abrindo e fechando-o incessantemente como se aquela luz azul imbecil pudesse controlar as mentes dos convidados em sua volta. Sem contar que ia andando de lá pra cá e estava me deixando meio tonto.

De resto... Foi normal. A minha família, o namorado da minha prima que eu conheci. Alias, ele me pareceu gente fina, parece que realmente gosta dela. Rapaz educado, simpático e tal, eles formam um belo casal! Porém a família da minha avó já implicou com ele, e os únicos que apóiam o namoro deles somos nós daqui. Quem não sabe como as igrejas colocam lorota na cabeça dos fiéis, né?

Mas não me diverti. Sei lá, vi muita gente do meu passado, de um passado que eu me esforço todos os dias para me esquecer, gentinha tosca que merece ir pra lugares que nem seria educado falar com minha educação britânica.

De resto, conversei com a senhorita Carla que fazia muito tempo que não a via, que terminou também nesse ano seus estudos. Saímos de lá pelas 2h da madruga... Não estava me sentindo bem com aquele pessoal. Quando chegamos, depois meia hora minha prima e seu namorado e minha tia (mãe dela) chegam. Minha avó não iria os deixar dormirem lá juntos então vieram pedir asilo político na minha casa, hehehe!

Segunda formatura - 17/12
Essa foi A formatura. Trajando smoking (faixa vinho e gravata vinho) lá foi Alain e sua família (mãe, pai, irmão, primo, avó e minha tia, também madrinha) até o Clube Banespa. Todo mundo estava lindo, todos capricharam no visual, até quem eu menos imaginava! Parecia um desfile de noivas... As garotas poderiam dar de dez a zero contra qualquer noiva que desse as caras por lá! Estavam realmente muito lindas, cada uma no seu estilo.

Tiramos algumas fotos, já dentro do salão, só com a família. Aí fui para a sala VIP, onde lá combinamos o resto do que iria acontecer. Lembro do Pedro (professor organizador da formatura) gritando, querendo que nós repetíssemos bem alto também: "Essa vai ser a melhor festa da minha vida!", ou algo assim. Depois de organizados em filas dirigimos até o salão e fomos organizados.

Aí veio aquela velha baboseira da formatura. Homenagens, professor discursando, plantas pro pessoal da mesa solene e uns professores impressionados com meu visual. Umas musicas pra distrair, meu pai chorando, todos em minha volta chorando e eu lá, sem derrubar nenhuma lágrima... To ficando muito frio de dias pra cá.

Teve uma hora em que ele pediu pra nós nos levantarmos e irmos ao encontro de um parente nosso. Só lembro do meu pai chorando e eu consolando ele, minha mãe se agüentando pra não chorar também e até minha tia (madrinha de formatura também) enxugando umas lágrimas teimosas. Eu nem chorei, fiquei na minha, dei uns abraços e voltei depois de beber um pouco de água mineral®.

Por fim, todos se cumprimentaram e deram a nós um cone de formatura com um papel dentro com uma carta, que eu postarei depois. Belas palavras, ao menos. Terminada a colação, voltei e fui comer um pouco, beber algo. A surpresa foi encontrar o Kiss lá também, meu teacher do CNA, foi convidado pela Mary pra ficar lá, que também me deu parabéns e ficou até surpreso.

Eu tava cansado de ficar lá parado. Fui dançar. A banda tava muito boa, cantaram umas músicas muito ruliz! Só sei que eu gritei, dancei, pulei, suei. Mas aí lá pelas 2h da madrugada o professor Pedro nos chamou pra organizar a valsa, e eu já tava todo suado, surdo e rouco. Minha tia havia ido embora com a minha avó, creio que minha avó estava cansada. Aí dancei com minha mãe.

Só sei que foi um inferno, eu suando querendo gritar e dançar e tendo que dançar valsa. Cansa dançar valsa, acho a dança que mais cansa é essa, até mais que dançar Michael Jackson (sim, pouquíssima gente sabe que eu danço Michael Jackson, apenas meus 'escolhidos' sabiam disso antes de eu postar aqui) mas tive que dançar. Acabada a valsa fui dançar mais ainda, agora com a Daisy, depois me perdi, achei a Francielly que tinha estudado comigo nos tempos do Octalles, e depois voltei pro grupo da Cíntia. Anos 60 e era Disco comandam demais!

Deu umas 3h30 meu irmão imbecil tava cansado. Aí tivemos que voltar. Não tava ouvindo quase nada, minha voz eu tava gritando pra ela sair além de uma calor imenso estar brotando do meu corpo. Acho que eu tava fedendo um pouco também, mas quem liga? Foi a maior e melhor festa da minha vida, e queria dividir um pouco dessa emoção com vocês. Valeu povo que eu amo, vou carregá-los pra sempre comigo.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog