domingo, 9 de setembro de 2007

Aonde a sociedade vai?

Desenho feito por mim. =) Num momento de calmaria. Tem várias coisas escritas nele, clique na figura ou aqui para ampliar.

O meu anjo acessou o meu blog! ^^ Agradeço a ela por ser mais uma leitora das besteiras que eu escrevo aqui. O desenho é ninguém menos que ela comigo (vide detalhes... Ela está de salto, jeans, e eu com a mesma roupa de quando saímos a primeira vez! Hahaha...). Ela tá dodói, e eu estou preocupado com ela. Eu ainda não terminei o chocolate ainda que ela me deu, mas terminarei hoje com certeza! Força! \o/

Bom meus caros senhores, eu estou hoje um tanto tristonho. O PC não está ajudando hoje, e sei até o que é: novamente... Pó. Não tem jeito, como eu arrumo a casa todo santo dia, o pó acaba se assentando hoje o PC fica, e então é só questão de contar um mês pra levar novamente ao técnico, pra fazer novamente uma limpeza. Quando ele fica mais lerdo que o normal como está agora então, aí é sinal vermelho.

Alguém anda vendo a última temporada dos Simpsons? Na versão brasileira a voz do Homer já está bem diferente... Deve ser o novo do filme.

Ah... Ontem fomos ao videokê! \o/ Tava até comentando com a minha irmãzinha Hokuto-chan, pois o pessoal lá da sala da facul que anda comigo só tem um japonês e o resto tem hábitos de japoneses. Poxa, ir comemorar o aniversário do André num videokê é a coisa mais oriental que eu consigo imaginar, hahaha... Mesmo eu adorando videokês e infelizmente não cantando muito bem... (mas o dueto de Ain't Afraid to die arrasou!)

Amigos assim são ótimos. Lembro-me de alguns amigos da época ginasial, que quando chegava a época de provas sempre sentavam-se ao meu lado pra pedir cola. Se eu não passasse então, já era. Mas o bobão aqui passava sempre, e nunca sabia o que de fato eles iriam fazer se eu não passasse. Talvez fosse por isso que eu sempre quisesse fazer amizade com pessoas do mesmo intelecto que eu, pois as únicas amizades que prestaram foram com pessoas tão inteligentes ou até mais do que eu.

Quando saí do colegial pensei que não encontraria amigos como aqueles. De fato, ano passado na arquitetura eu não encontrei grandes amigos. Fiz amigos sim, mas não teriam o mesmo impacto, embora fossem pessoas no mínimo iluminadas. Mas agora eu vejo que toda a luta do ano passado em colocar na cabeça-dura do meu pai que eu queria fazer Design está surtindo efeitos não apenas no âmbito profissional, mas também no de relacionamentos. Amigos novos e bons. Eles têm grandes chances de serem tão marcantes quanto os do colegial. É esperar pra ver, quem viver, verá.

Meus digníssimos senhores. Minha avó sempre dizia que: "Se algo que você ganha é sem lutar, não tem o mesmo sabor se você lutasse". Estou vivendo um momento que eu tenho que lutar pra poder tornar real não o meu desejo - que já se fora, e embora seja praticamente impossível realiza-lo, a esperança é a última que morre - mas estou tendo a chance de nutrir novas ambições. Ser feliz talvez. Embora a vida inteira eu só tenha me visto como uma pessoa sozinha, incapaz de se relacionar mais que a amizade com uma pessoa, vejo agora uma possibilidade de que esse caminho solitário seja preenchido por uma dama ao meu lado. ^^

Quero dizer... Toda aquela frieza poderia ser deixada de lado. O calculismo, as manipulações, enfim... Não sei bem onde vai dar, pode ser que nada aconteça, mas eu gosto de acreditar sempre numa balança: vamos pesar os prós e contras, e não dar ênfase apenas ás coisas ruins. A sociedade sempre irá pesar mais as coisas ruins, as falhas, e sequer darão crédito ás coisas boas. Seres humanos sempre querem mais e mais, mas que tal cultivar o pouco e torna-lo maior?

Eu não sei. Não sei onde a sociedade vai parar. Pessoas acabam brigando com as outras, matando outras sem motivo, enfim. Pra ser sincero não sei bem da onde está saindo isso, pois semanas atrás eu pensava coisas tão distintas... Ainda tenho minha idéia de sociedade ideal, e não a deixarei. Mas é um extremo desejo de obter coisas, abusar de outras. Pessoas trocam amor por dinheiro, enfim. "O mundo seria bem melhor se todos pudéssemos amar, e em troca amado ser.", já dizia o saudoso Ewan McGregor no filme Moulin Rouge.

Mas de fato é isso. Eu particularmente hoje em dia não tenho mais paciência de ver o filme. Mas ainda me toca a parte que ele fala sobre isso. Tanta gente faz o mal ás outras, as impede de amar, causam cicatrizes. Muitas vezes essas que são feridas sequer abrem-se a uma nova possibilidade e limitam-se a apenas algumas poucas coisas... Enfim...

Coisa pra pensar. Mas não adianta. Eu nasci em outro mundo, eu tenho uma outra perspectiva. Ter alma de velho nesse mundo de jovens não é tão vantajoso, mas isso já virou um conceito, uma lei minha.
E coisas que determino dificilmente eu as mudo. Eu sigo e luto pelo que eu acredito.

Have a nice week.
E em especial pro meu anjo que tá doente. I love yoooou! ^^

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog