domingo, 24 de maio de 2009

Como nasce um layout - Parte 3

Eram layouts todos feitos com tabelas. Óbvio, existia já CSS e todas essas tecnologias, mas eu nem sabia usá-las e pensava ser todas linguagens meio impossíveis de se assimilar. Logo, saiam imensamente pesados! Mas sinceramente, gostava. Esses dois aliás caíram bastante no meu gosto, e acho que praticamente esgotei todas as idéias e personagens legais logo em 2006 no blog. Foi uma época bacana, aliás estudar arquitetura me fez pensar que São Paulo é muito além do Largo Treze. Lembro que quando comecei a reparar na arquitetura da Estação da Luz fiquei abismado ao ver os arcos romanos lá, digo... Tirando História da Arte e algumas pouquissimas matérias, o resto eu sempre cabulava. Tava de saco cheio, exatamente como estou me sentindo agora em Design. =P

Sakura no Nie - Ago 2006/Set 2006
Uma amiga disse que esse layout deveria ser censurado por causa do cigarro, haha. Homenagem a um dos meus vilões favoritos, embora eu não o ache tão malvado. Da obra as anãs da CLAMP, ele participou de Tokyo Babylon e X/1999 e seu sobrenome eu carrego comigo de tanto fanatismo pelo rapaz. Seishirou Sakurazuka, o Sakurazuka-mori (桜塚護, Guardião da Sepultura da Cerejeira) e... Há! Agora sabem da onde vem...!


O objetivo era mostrar mesmo a escuridão e a morte principalmente. Tem elementos do personagem como a Rainbow Bridge, um ofuda de onmyoudô, o cigarro e a pétala de cerejeira. Embora todos falem que é a relação gay entre eles é algo que um homem não é aconselhável ver, eu digo sem medo que esse é um dos meus roteiros favoritos, perdendo o máximo talvez pros meus dois favoritões, Saint Seiya e Rurouni Kenshin. Não tenho nada desse preconceito, e acho o romance dos dois uma coisa muito linda, sem preconceitos, afinal esse tipo de coisa já devia ser superada e esquecida há muito tempo.

Ah, e o significado é "Oferendas da Cerejeira" o nome do template (Sakura no Nie).

redDie - Out 2006/Nov 2006
Primeiro dedicado à minha banda de rock favorita, os japas do Dir en Grey. Já desde aquela época eu sempre fui apaixonado pela cor vermelha, e inclusive até hoje, diga-se de passagem. Layout dedicado ao guitarrista secundário, Die, que sempre disse ser alguém apaixonado pela cor vermelha. Tingia o cabelo de vermelho, só se vestia de vermelho, dizia ser apaixonado pelo vermelho, vish... São muitas coisas em comum, não acha?


A idéia mesmo era mostrar o caos. Tem um flash no topo, meio porco também, com apenas uma animação de gotas caindo sob um laguinho. Animação básica mesmo, tinha um loading incrivelmente rápido e animações fraquinhas. Destaque para a cor vermelha, óbvio em toda a produção.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog