terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

da Sabedoria.

Estou lendo Aforismos, do Bruce Lee. Não estava levando muito a sério quando no prefácio diz que normalmente as pessoas acabam amando o livro depois que lêem, mas agora que estou lendo ele a fundo tou vendo que será um dos meus livros de cabeceira.

Acho que o mais legal é que o livro serve pra filosofia básica como filosofia avançada. Bruce Lee divaga entre pensamentos de filósofos dos mais diversos locais, crenças, ideologia, tempos e estilos. Vou escrever um pouco sobre o que eu li, e completar algumas coisas que expus num post muito velho. Se puder leia primeiro, e depois volte aqui.

Quando eu estava no colégio, e via que tinha muita facilidade com matemática, achava que eu era inteligente. Mas a inteligência que eu tinha era uma capacidade apenas de assimilação. E isso é nada menos que um exercício de memória, um cachorro assimila o comando "Sentar" com a ação de sentar. Somos seres humanos, somos movidos por signos, e esses signos, e a quantidade que conseguimos assimilar que nos fazem "inteligentes".

Mas hoje eu pergunto: inteligência só é necessário?

E se eu disser que, para você aprender mais, você deve antes de qualquer coisa deixar pra trás tudo o que você sabe? É como um copo d'água, você tem aí um copo cheio de coisas que você sabe, mas para aprender mais, algo novo você deve esvaziar esse copo. E começar do zero.

E fazemos isso sem querer. Design por exemplo, pensava que sabia, me achava porque sabia abrir um Photoshop e fazer a praia virar algo psicodélico. Porém, na faculdade, tive que abandonar tudo o que sabia (ou pensava que sabia sobre design) pra hoje chegar onde cheguei. Eu, que pensava que design fosse apenas algo ligado à utilidade ou beleza da coisa, hoje tenho uma definição mais ampla.

Uma vez estava falando com uma amiga que ás vezes sentia que professores atrapalhavam o que queria aprender e mexer. E ela disse que teria alcançado o que toda faculdade deveria te dar, mas que muitas não o fazem, pra que as pessoas não saíssem da linha de produção de conhecimento que existe no sistema. Chegou um momento em que os professores que me deixaram aonde estou estavam na verdade atrapalhando o caminho que eu queria tomar por exatamente estarem presos aos seus dogmas ultrapassados.

Do que adianta aprender se você não seguir seu caminho? A sabedoria é algo muito mais denso que o conhecer. Conhecer depende de um tempo, mas a sabedoria é o conjunto de todas as experiências que você teve na sua vida. E essas experiências te moldam de alguma forma, e você começa a acreditar do que faz sentido pra você baseado em toda a inteligência que uma vez você tivera.

Muito denso, né?

Mas caiu como uma espécie de dilema. Será que se Monet e Renoir não tivessem tido noção o suficiente não teriam criado o Impressionismo e mudado a arte até hoje? É um exemplo básico, mas se eles estivessem presos aos dogmas da arte clássica será que teriam arriscado e mudado todo o conceito de arte e servido de base para artistas até de hoje?

Trilhar um caminho de sabedoria pelos seus próprios feitos. Isso é algo que vai além da inteligência.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog