terça-feira, 26 de julho de 2011

Amy Winehouse


No meu aniversário rolou um atentado na Noruega e um dia depois Amy Winehouse morre. Que coisinha complicada, huh?

Eu gostava muito dela. Inclusive numa entrevista recente de emprego falei sobre ela, que a admirava, mesmo com seu jeito de ser infelizmente autodestrutivo, era alguém genial na música.

Depois da morte de Amy muitas pessoas vieram falar sobre a questão das drogas, como se elas fossem o único mal apenas. Muitas pessoas que usam drogas que já conheci na vida não queriam ajuda. Sentiam aquela sensação forte depois de se drogar, e depois essa sensação passava, e depois lá estavam eles de novo, e de novo, e de novo.

Amy em sua música dizia que não queria um tratamento, queria um amigo.

Essas pessoas que em geral acabam se envolvendo com drogas muitas vezes não tem muitos amigos. Talvez amigos tenha um efeito similar às drogas - não estou sendo demagogo - e poderiam, quem sabe, sobrepujar esse uso de químicos. Um amigo pode te dar uma força, conversar contigo, você fica mais leve, mais confiante, e tudo isso apenas com simples relação humana.

Vejo Amy muito similar ao Michael Jackson, que tinham problemas similares aos problemas das pessoas atualmente.

Numa sociedade onde trabalhamos em empresas que estão defecando e andando pra gente, que amigos somente conversam com a gente pra fazer uma média ou que nossas namoradas nos deixam no momento em que não tivermos mais um carro, bem... Talvez falte mesmo isso que o ser humano sempre teve desde a sua essência: o contato humano.

As drogas não foram o mal de Amy. Talvez se ela tivesse crescido num meio bacana, e mesmo quando adulta tivesse contato com boas pessoas, com amigos, companheiros, bons colegas. Ela era apenas uma pessoa sensível. Tem pessoas que aguentam comidas de rabo de outras, mas nem todo mundo tem essa capacidade. Não estou dizendo que ela seja fraca, e deveria deixar de lado assim como a sociedade que preza apenas os mais fortes. Mas será que um pouco de humanidade seria pedir demais? Compreensão?

Talvez isso teria ajudado a Amy.
Vá em paz, grande cantora.

0 comentários:

Postar um comentário

Arquivos do blog